Final dramático mas feliz. Jeonbuck de José Morais campeão da Coreia do Sul

A equipa treinada pelo técnico português precisava de ganhar e esperar que o líder Ulsan perdesse sem marcar muitos golos. Tudo se conjugou e José Morais levantou a taça por ter mais um golo marcado do que o rival.

O treinador português José Morais, ex-adjunto de José Mourinho, sagrou-se neste domingo campeão da Coreia do Sul, depois da vitória do Jeonbuck na última jornada diante do Gangwon, por 1-0, e de um verdadeiro milagre que aconteceu num outro jogo do campeonato que se realizou à mesma hora.

O Jeonbuck estava obrigado a vencer para conquistar o terceiro título consecutivo de campeão sul-coreano, e precisava ainda de uma (grande) ajuda de terceiros, ou seja, que o líder Ulsan Hyunday fosse derrotado e que mesmo assim não marcasse muitos golos para permitir que a equipa de José Morais pudesse ter vantagem na diferença de golos.

E tudo se conjugou de forma perfeita, pois além da vitória sobre o Gangwon, o Ulsan foi goleado por 4-1 na receção ao Pohang, com dois golos a surgirem já bem perto do final do jogo. Foi o cenário perfeito que permitiu ao Jeonbuck festejar mais um título... devido à diferença de golos marcados - 72 para o Jeonbuk e 71 para o Ulsan, primeiro critério de desempate pois as duas equipas terminaram com os mesmos pontos.

"O jogo do Ulsan começou ao mesmo tempo e percebi que Pohang marcou um golo devido aos aplausos dos nossos adeptos. Os jogadores trabalharam muito. O mais importante era ganharmos o nosso jogo. Foi uma boa experiência. Cresci muito no Jeonbuk neste ano", referiu José Morais em declarações ao site do clube, ainda eufórico com o final épico do campeonato sul-coreano que lhe valeu o título de campeão graças à diferença de golos.

Este foi o segundo troféu nacional da carreira de José Morais, de 54 anos, depois de ter vencido a liga tunisina em 2008/09, ao serviço do Espérance de Tunis.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG