FIFA com luz verde para a substituição extra e para rever a lei do fora de jogo

Interantional Board aprovou a quarta substituição, em reunião, este sábado, em Belfast.

O International Board aprovou este sábado a substituição extra, uma espécie de substituição temporária, em casos de comoção cerebral. Segundo a FIFA, o organismo que define as leis do jogo no futebol mundial deu OK ao organismo que gere o futebol mundial para testar a substituição extra.

A ideia é testar a nova regra nos jogos de futebol dos Jogos Olímpicos Tóquio2020. No fundo, os treinadores passam a ter mais uma substituição em caso de um jogador(a) sair lesionado, após um choque de cabeça, por exemplo. Mas não de qualquer maneira. A equipa médica tem de diagnosticar a concussão mediante um protocolo específico.

Após o encontro anual em Belfast, na Irlanda do Norte, este sábado, a International Board concordou ainda em rever a lei do fora de jogo "para alimentar o espírito do jogo ofensivo". Ou seja, em caso de duvida validar o golo. Isto depois de algumas polémicas, principalmente em Inglaterra, com golos anulados por três e quatro centímetros.

A revisão da lei do fora de jogo é uma ideia defendida por Arséne Wenger. "Não haverá fora de jogo se qualquer parte do corpo com a qual seja possível marcar golo esteja em linha com o último defesa. Na minha proposta, deixarão de ser assinalados foras de jogo por milímetros ou por frações do corpo do avançado que estejam adiantadas em relação à linha da defesa", explicou há duas semanas o antigo treinador que é o diretor técnico da FIFA e faz parte do Conselho Internacional da Federação de Futebol (IFAB),.

O organismo continuará ainda a tentar encontrar medidas para evitar confrontos físicos excessivos entre jogadores e assédio aos árbitros quando eles esperam por indicações do VAR. Bem como facilitar a introdução do VAR nos campeonatos com orçamentos baixos em todo o mundo.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG