Apuramento no lamaçal com um golo polémico

O estado do relvado na segunda parte quase não permitiu a circulação da bola. Golo de Nakajima valeu o apuramento para os quartos da Taça, num lance que parece precedido de falta

O FC Porto está nos quartos-de-final da Taça de Portugal, num dia em que Sérgio Conceição comemorou 100 vitórias como técnico dos dragões. A vítima foi o Santa Clara, que só deu um ar da sua graça na segunda parte com o relvado transformado num lamaçal, e que pode queixar-se do golo sofrido, pois existiu uma falta de Corona antes de Nakajima marcar. Mas que nem o VAR viu.

Sérgio Conceição fez quatro alterações relativamente à equipa que goleou o Tondela na segunda-feira para o campeonato, com a entradas de Diogo Costa para a baliza, de Diogo Leite para o eixo defensivo, de Manafá para o lado direito da defesa e de Zé Luís para o ataque. Alterações que provocaram uma mexida tática, com a equipa a abandonar o habitual 4X4X2 para atuar em 4X2X3X1, num onze em que Zé Luís era o jogador mais adiantado, com Nakajima nas costas.

A intenção do FC Porto num dia em que o Estádio do Dragão registou certamente uma das piores assistências de sempre (10.661 espectadores) ficou clara desde muito cedo, com a equipa a encontrar espaços e a chegar com facilidade à área dos açorianos. E não fossem duas grandes intervenções do guarda-redes André Ferreira, o marcador podia ter sofrido alterações nos primeiros 20 minutos. Primeiro ao opor-se a um cabeceamento de Zé Luís (5') e depois a travar um remate do avançado cabo-verdiano (17').

O domínio a a pressão exercida pelos jogadores do FC Porto fazia adivinhar que o golo não ia demorar. E assim foi. Aos 28', o japonês Nakajima estreou-se a marcar com a camisola dos dragões , num lance em que os açorianos ficaram a reclamar uma falta de Corona antes de o mexicano ter feito a assistência, e que pelas imagens televisivas parece mesmo existir - o golo foi validado mesmo com o recurso ao VAR.

Até ao final da primeira parte, os dois guarda-redes estiveram em evidência. Primeiro André Ferreira, em mais uma grande defesa a um remate de Corona. E depois do outro lado o jovem Diogo Costa, que mostrou reflexos num disparo de muito longe de Francisco Ramos.

A segunda parte começou com o relvado (mais um lamaçal) completamente encharcado devido à forte chuva, o que prejudicou o jogo porque a bola praticamente não circulava. Mesmo assim o árbitro decidiu não interromper a partida. Naturalmente que nestas condições as oportunidades de golo escassearam. Uma das poucas exceções foi um livre direto de Alex Telles, aos 64 minutos.

O Santa Clara, mesmo a jogar num lamaçal, começou aos poucos a crescer. E aos 68 minutos esteve muito perto do empate, numa jogada de contra-ataque de Thiago Santana, que cruzou para a área portista mas Bruno Lamas atirou por cima da barra. Nesta altura já Danilo tinha entrado para reforçar o meio-campo, por troca com Luíz Diáz.

Os açorianos ainda assustaram o FC Porto mais um ou duas vezes. Mas definitivamente o estado relvado não ajudou. E o jogo terminou com o triunfo dos portistas por 1-0, valendo o golo de Nakajima para apurar os dragões para os quartos-de-final da Taça de Portugal, onde se junta ao Académico de Viseu, Varzim, Rio Ave, Canelas 2010, Paços de Ferreira e Benfica.

FICHA DO JOGO

Jogo no Estádio do Dragão, no Porto.

FC Porto-Santa Clara, 1-0.

Ao intervalo: 1-0.

Marcador: 1-0, Nakajima, 29 minutos.

FC Porto: Diogo Costa, Manafá, Pepe, Diogo Leite, Alex Telles, Matheus Uribe, Otávio, Nakajima (Sérgio Oliveira, 85), Corona, Luis Díaz (Danilo, 68) e Zé Luís (Soares, 901+1).

Santa Clara: André Ferreira, Rafael Ramos, Fábio Cardoso, César, Candé, Osama Rashid, Francisco Ramos, Nené (Bruno Lamas, 26), Pineda (Carlos Júnior, 58), Schettine (Thiago Santana, 66) e Zé Manuel.

Árbitro: Fábio Veríssimo (AF Leiria).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Zé Luís (22), Otávio (45); Candé (63) e César Martins (88).

Mais Notícias