Ex-presidente do IDPJ revela pressões do governo em caso do Benfica

Augusto Baganha diz, em comissão parlamentar, que secretário de Estado do Desporto enviou um sms com o número do advogado do Benfica.

O ex-presidente do Instituto Português do Desporto e da Juventude (IPDJ) está, nesta terça-feira, a ser ouvido na comissão de Cultura, Comunicação, Juventude e Desporto, na Assembleia da República, após requerimento apresentado pelo PSD para esclarecimento das causas que levaram o governo a cessar o seu mandato à frente daquele instituto.

Na sua intervenção inicial, Baganha sublinhou que houve "pressões ilegítimas e em privado, por parte de membros do governo (...) em momentos inesperados das decisões jurídicas do IPDJ". E revelou uma mensagem enviada pelo secretário de Estado do Desporto, João Paulo Rebelo, sobre o caso da interdição do Estádio da Luz.

"Tive conversas, sim, mas muitas delas em privado e sem a participação de terceiros, pelo que não as posso revelar, mas reafirmo: não é que não tivessem relevância para este assunto que hoje nos traz aqui, mas porque ocorreram em privado podia ser desmentido. Mas uma que posso revelar é que o senhor secretário de Estado enviou, por sms, o número do telemóvel do advogado do Benfica para a minha colega do conselho diretivo, doutora Lídia Praça, a fim de que fosse resolvido o processo da interdição do Estádio da Luz, em julho de 2017. Isto, porque nunca aconteceu com qualquer outro processo, foi entendido por mim como pressão. Esta situação pode ser comprovada por análise aos registos telefónicos", afirmou Augusto Baganha na comissão parlamentar.

Augusto Baganha foi entretanto substituído pelo anterior vice-presidente Vítor Pataco na liderança do IPDJ.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG