Depois da Fórmula 1, Portugal pode receber o MotoGP e Miguel Oliveira

Promotora do mundial de motociclismo anunciou calendário com 15 provas e Portugal é hipótese para encerrar temporada.

O Mundial de MotoGP pode acabar em Portugal. A DORNA reduziu o campeonato a 15 corridas devido à pandemia de covid-19, mas acrescentou uma prova na Europa, devido ao cancelamento das provas de Argentina, Tailândia e Malásia.

E "Portimão é hipótese", segundo disse à Agência Lusa, o presidente da Federação Internacional de Motociclismo, o português Jorge Viegas. "O Autódromo Internacional do Algarve (AIA) é circuito de reserva do Mundial de MotoGP nos anos de 2020 e 2021 e tem um pré-acordo para entrar no calendário em 2022", recordou o dirigente, sem abordar o regresso já em 2020.

A vinda do Mundial de Fórmula 1, a 25 de outubro, ao circuito algarvio ajudou à decisão, uma vez que o asfalto da pista sofrerá obras de melhoramento, que era uma das exigências da DORNA para a vinda do campeonato a Portugal.

O anúncio será feito publicamente no dia 10 de agosto. A data disponível é o 22 de novembro, a seguir ao Grande Prémio da Comunidade Valenciana, em Espanha, que se disputa no fim de semana anterior.

Certo é que quem acolher a derradeira prova da temporada irá, também, organizar a Gala dos Campeões, da DORNA, onde são entregues os troféus aos campeões da temporada.

O Mundial de MotoGP tinha início previsto no dia 8 de março, mas a prova foi cancelada devido à pandemia de covid-19, tendo tido a primeira prova no circuito espanhol de Jerez de la Frontera, a 19 de julho, e a segunda uma semana mais tarde, no mesmo traçado.

Após duas provas realizadas, o francês Fabio Quartararo (Yamaha) lidera o campeonato, com 50 pontos. O português Miguel Oliveira (KTM) é 13.º, com oito.

Mais Notícias