Darwin Núñez: "Ainda não me caiu a ficha de que estou no Benfica"

O avançado uruguaio recusa comparações com Cavani e admite que está numa fase de aprendizagem com Jorge Jesus. O treinador do Benfica assume que o jogo desta quinta-feira com o Standard insere-se no plano de recuperação europeia do clube.

O avançado Darwin Núñez admitiu esta quarta-feira que está a viver um sonho desde que chegou a Portugal para representar o Benfica. "Ainda não me caiu a ficha de que estou no Benfica e que as coisas estão a correr bem", afirmou o uruguaio que neste início de temporada já contabiliza quatro golos e cinco assistência e tem sido um dos destaques da equipa de Jorge Jesus.

"Quero continuar a melhorar e a aprender com o míster. Como ele costuma dizer, cheguei aqui e nem tinha ideia de jogo. Agora, com ele, as coisas estão melhores", afirmou, admitindo que Jesus fala-lhe de "pormenores que faltam", mas diz que "com o tempo" irá conseguir "melhorar e perceber melhor o que é pedido".

Darwin admitiu ainda que se sente "bem" a jogar ao lado de Seferovic e Waldschmidt. "Têm ambos qualidade e ainda temos de contar com o Gonçalo Ramos. Há muita competitividade saudável", frisou, recusando qualquer comparação com o compatriota Edinson Cavani. "Não me comparo ao Cavani. Ele tem um estilo de jogo diferente do meu. Vim aqui para aprender e desfrutar deste momento de estar numa equipa muito grande como é o Benfica", sublinhou na conferência de imprensa de antevisão à partida desta quinta-feira com o Standard Liège, a contar para a fase de grupos da Liga Europa.

O treinador Jorge Jesus fez questão de elogiar as "características físicas e técnicas" de Darwin, mas avisou que "não tem as táticas". "Está em crescimento, tem muito por crescer, mas é natural para quem, como a estrutura do Benfica, acreditou neste atleta. Sendo um jogador pouco conhecido, fomos nós que conseguimos sacar este jogador aos nossos concorrentes"", recordou.

No que diz respeito ao jogo com o Standard Liège, Jorge Jesus assumiu que deverá fazer algumas alterações no onze e que este jogo se insere na tentativa do clube "chegar a uma final europeia e poder vencê-la". "Este é um dos projetos do presidente do Benfica. Foi uma das ideias pelas quais o presidente conseguiu tirar-me do Brasil. Como tal, é um processo de continuidade e para o qual o Benfica contratou jogadores com muita qualidade, com jovens jogadores de seleção, como Everton, Luca Waldschmidt, Darwin. Este Benfica ficará, ano após ano, cada vez mais forte", sublinhou.

Mais Notícias