Covid-19: Rússia avança com solução para tentar salvar o Euro 2020

Governo russo diz que o país tem vários estádios preparados e prontos para serem palco de jogos do Euro 2020. UEFA vai reunir na terça-feira com o adiamento do campeonato da Europa para 2021 em cima da mesa.

A decisão de adiar o Campeonato da Europa de futebol previsto para este verão está em cima da mesa e na próxima terça-feira, após uma reunião da UEFA com as 55 federações, poderá ser tomada uma decisão. Nesse sentido, a Rússia, através do primeiro-minsitro do país, já se prontificou a ajudar, caso seja necessário arranjar uma solução, informando a UEFA que tem estádios disponíveis para receber jogos.

O primeiro-ministro russo, Dmitry Chernyshenko, anunciou que o seu país pode "ajudar a salvar" a competição recebendo mais partidas do que as inicialmente previstas - três na fase de grupos e uma dos quartos-de-final. "Nós podemos alargar o nosso programa de jogos e recebermos mais jogos. Cabe agora à UEFA analisar e propor-nos isso. A Rússia está sempre pronta para dar uma ajuda e oferecer os seus serviços, mas temos de entender que têm de haver certos limites devido à propagação do coronavírus", disse o governante.

A Rússia, apesar da proximidade com a fronteira da China, tem apenas 45 casos confirmados de infetados por covid-19 e nenhuma morte registada até ao momento.

O adiamento do Campeonato da Europa de futebol para 2021 parece nesta altura a decisão mais sensata e o anúncio pode mesmo surgir na reunião de emergência de terça-feira convocada pela UEFA.

Há contudo vários entraves e problemas na tomada de uma decisão destas, desde logo relacionada com patrocinadores e operadores televisivos. A FIFA também terá uma palavra a dizer, já que a entidade presidida por Gianni Infantino, que regula o futebol mundial, tinha previsto arrancar no verão de 2021 com uma nova competição, o Mundial de Clubes. Por outro lado, se esta decisão avançar, a Liga das Nações pode também ser cancelada, já que a fase final desta competição de seleções está agendada para a primeira semana de junho, ou seja, muito em cima do início do Euro 2020.

FIFA dispensa clubes de cederem jogadores às seleções


A FIFA informou neste sábado que os clubes estão dispensados de enviarem futebolistas para compromissos de seleções para o período programado de 23 a 31 de março, devido à pandemia de Covid-19 e recomendou o adiamento desses jogos.

"O Conselho FIFA decidiu hoje que as regras gerais do futebol, que normalmente obrigam os clubes a libertar jogadores para jogos de seleção, não se aplicam para as próximas janelas internacionais, entre março e abril", pode ler-se num comunicado do organismo de cúpula do futebol mundial.

Segundo a mesma nota, "realizar jogos internacionais nas atuais circunstâncias pode não só apresentar potenciais riscos para jogadores e público como, muito provavelmente, comprometer a integridade desportiva dos referidos jogos, uma vez que certas seleções podem não ter as melhores equipas e outras sim".

Assim, a FIFA recomenda que todos os jogos sejam adiados para que possam "realizar-se num ambiente seguro, para jogadores e público", deixando a decisão final "para os organizadores de competições ou associações, no caso de particulares".

Na Ásia e América do Sul, os jogos de qualificação para o Mundial2022 já foram adiados, e estão a ser estudadas alternativas para a realização dos jogos, em cooperação com a Organização Mundial de Saúde e todas as partes envolvidas.

Na sexta-feira, também a UEFA tinha suspendido todos os jogos sob a sua égide, incluindo Liga dos Campeões e Liga Europa, para evitar a propagação da pandemia de Covid-19, informou o organismo responsável pelo futebol europeu. "Todos os jogos da UEFA, incluindo a Liga dos Campeões e Liga Europa [os jogos da segunda mão], não se disputarão na próxima semana", indicou o organismo na sua página oficial o organismo responsável pelo futebol europeu.

Na Europa, quase todos os campeonatos estão suspensos, incluído o português, por tempo indeterminado.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG