Catarina Ribeiro queria mais do que o 10.º lugar nos 10.000 metros 

Sara Moreira e Inês Monteiro desistiram na final da prova, nos Europeus de atletismo em Berlim

A atleta portuguesa Catarina Ribeiro assumiu esta quarta-feira alguma deceção com o 10.º lugar obtido na final dos 10.000 metros dos Europeus de atletismo de Berlim, onde foi a melhor portuguesa, com a marca de 32.53,71 minutos.

"Não terminei onde queria, na verdade. Queria mais, mas acabei por ficar contente por ter terminado esta prova, em que senti muito o calor. Dei o meu melhor, mas não era o que esperava", disse a atleta no final da prova, na zona mista, concluindo a corrida em 32.53,71 minutos.

A atleta do Sporting já se vira para o futuro: "Agora, tenho que pensar nas próximas épocas, mas no respeito pelos objetivos da minha equipa, que estarão sempre em primeiro lugar. Mas ainda quero continuar o meu percurso nas provas de 10.000 metros e maratona."

As outras duas atletas portuguesas participantes na prova, Sara Moreira e Inês Monteiro, desistiram, tendo a segunda se sentido mal e abandonado a corrida em lágrimas.

"Não soube lidar com o facto de ter ficado muito cedo fora da luta pelos primeiros lugares", disse Sara Moreira

Poucas voltas mais tarde foi a vez de Sara Moreira abdicar da corrida: "A minha experiência trouxe-me coisas positivas e outras menos boas. A responsabilidade é uma destas. A pressão que coloco em mim, por ter estado em cinco europeus e ter conquistado três medalhas, trouxe-me este problema. Não soube lidar com o facto de ter ficado muito cedo fora da luta pelos primeiros lugares. Tentei chegar lá, não consegui e quando não estava a sentir o meu corpo a reagir, desisti", disse a atleta.

"Assumi a mudança de treinador e de rotinas para conseguir mais resultados. Pensei que conseguiria mais depressa, mas não foi assim. Mas tenho confiança em que o trabalhão resultará, mais depressa ou mais devagar. A minha aposta para os Jogos Olímpicos passa pela maratona, mas ainda não sabemos como será a qualificação. Mas estas presenças nos 10.000 metros estão aqui entaladas e tenho que reagir a isso. Uma coisa tenho a certeza: adoro correr e tenho capacidade para trabalhar mais e conseguir bons resultados", concluiu.

A israelita de origem queniana Lornah Chemtai Salpeter sagrou-se campeã europeia, à frente da surpreendente holandesa Susan Krumins e da sueca Meraf Bahta, segunda e terceira classificadas, respetivamente.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG