Derrota no primeiro teste do Sporting frente equipa da terceira divisão suíça

Equipa leonina jogou com o Rapperswil-Jona na Suíça e chumbou no teste. Bruno Fernandes marcou o único golo dos leões da marca dos onze metros. Próximo jogo é no dia 13, com o St. Gallen, da I liga suíça.

Bruno Fernandes sai ou fica? A pré-época do Sporting parece resumir-se a esta pergunta, tal a indefinição da situação, mas, esta quarta-feira, o capitão disse presente. Frente ao Rapperswil-Jona, que este ano desceu ao terceiro escalão suíço, o camisola 8 foi titular e começou logo a marcar de grande penalidade. Foi dele o primeiro golo do jogo e da pré-temporada na derrota com o modesto adversário suíço (2-1).

Keizer não olhou ao nome do adversário e fez alinhar uma equipa com os habituais titulares com Renan Ribeiro, Thierry Correia, Luís Neto, Jérémy Mathieu e Nuno Mendes, Doumbia, Bruno Fernandes, Wendel, Raphinha, Luciano Vietto e Bas Dost. O argentino, novo camisola 10 dos leões, embora encostado ao flanco esquerdo, procurou acima de tudo explorar zonas interiores e dar maior apoio a Bas Dost. Ainda ensaiou o remate.

Já Nuno Mendes (17 aninhos apenas) na lateral esquerda e Thierry Correia na lateral direita foram as duas grandes novidades do jogo. Os dois jovens estiveram muito ativos, mas sem grande relevo no jogo. Quanto a Neto mostrou segurança ao lado de Mathieu, num teste .pouco exigente.

Sem Gudelj, que esteve emprestado pelo Guangzhou Evergrande na época passada, foi Doumbia a jogar na posição mais recuada do meio-campo.

Havia alguma expectativa quanto ao esquema utilizado, uma vez que o técnico holandês utilizou preferencialmente o 4x3x3 na época passada e esporadicamente um dispositivo tático de três centrais. O primeiro esboço do Sporting na nova temporada foi assim muito idêntico ao leão do ano passado, com Doumbia, Bruno Fernandes, Wendel, Raphinha, Luciano Vietto e Bas Dost do meio campo para a frente.

Um onze novo no segundo tempo, a mesma tática

No segundo tempo o treinador leonino manteve o 4X3X3, mas, mudou todo o onze do Sporting, que passou a alinhar com Luís Maximiano; Eduardo Quaresma, Tiago Ilori, Ivanildo Fernandes e Abdou Conté; Eduardo, Miguel Luís e Matheus Pereira; Plata, Camacho e Luiz Phellype.

Com as mudanças o posicionamento defensivo deixou muito a desejar - Ilori e Ivanildo Fernandes com evidentes dificuldades para lidar com os experientes e robustos avançados da equipa suíça. Plata deixou ótimas indicações (que grande remate à trave), Eduardo, no meio-campo, arriscou pouco e Rafael Camacho, inicialmente na esquerda, mostrou qualidade no controlo e posse de bola, mas descordenado do resto da equipa.

Um apagão geral que o Rapperswil-Jona - equipa treinada pelo português Pedro Silva - aproveitou para surpreender primeiro com o empate por Jordan e depois pela viragem no marcador por Merlin Hadzi. Dois golos que surgiram na sequência de dois erros defensivos graves na segunda parte.

No final do jogo Roy Hendriksen, adjunto do treinador Marcel Keizer, desvalorizou a derrota: "Mostrámos muito boas jogadas, primeiros 45 minutos foram melhores, tínhamos em campo jogadores mais experientes, mas, na segunda parte também houve boas jogadas, embora sem disciplina. No segundo tempo, com um onze menos rodado, os suíços recuperaram a igualdade em apenas quatro minutos e aproveitaram uma falha defensiva para se colocarem em vantagem. Os novos atletas precisam de mais tempo. Temos quase duas semanas, dêm-lhes tempo. Têm qualidade, mas, precisam de tempo."

Ainda ausentes estiveram os internacionais Coates (Uruguai), Acuña (Argentina), Borja (Colômbia), Bruno Gaspar (Angola) e Diaby (Mali),

Os leões voltam a jogar no dia 13, com o St. Gallen, da I liga suíça, no dia 19 com o os belgas do Club Brugge, no dia 25 nos EUA defrontam o Liverpool e no dia 28, em Alvalade, no troféu dos Cinco Violinos enfrentam o Valência.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG