Bruno de Carvalho: ligação à Juve Leo começou ainda na adolescência

Ex-presidente do Sporting iniciou a sua ligação à Juventude Leonina ainda como adepto, entre os 13 e os 18 anos. Mas a claque mais representativa dos leões esteve sempre presente ao longo do seu mandato.

A detenção de Bruno de Carvalho neste domingo por alegadamente ser o mandante da invasão de membros das claques do Sporting à Academia, em Alcochete, no dia 15 de maio, é apenas mais um episódio de uma relação antiga entre o ex-presidente do Sporting e a Juventude Leonina, o principal grupo de adeptos organizados do clube.

Desde muito novo que Bruno de Carvalho começou a frequentar o ambiente da Juve Leo, durante boa parte da sua adolescência, mais concretamente entre os 13 e os 18 anos. Por essa altura, já havia traçado que o seu sonho seria ser presidente do Sporting, tendo antes disso sido vice-presidente da secção de hóquei em patins e da Associação de Patinagem dos leões. Acabaria por concretizar o sonho em 2013, com apenas 41 anos, dois anos depois de ter perdido a eleição para Godinho Lopes. Nessa altura, constatou-se que tinha agregado em seu redor uma larga franja de jovens associados, entre os quais os das claques do clube.

Bruno de Carvalho nunca descurou essa proximidade com os grupos organizados de adeptos, tendo inclusive promovido as boas relações entre elas, nomeadamente entre a Juve Leo e o Diretivo XXI, que acabaram por se juntar na mesma bancada, pondo um ponto final a vários anos de discórdia.

A proximidade do ex-presidente à Juventude Leonina foi sempre enorme, como o prova uma publicação no seu Facebook a 18 de março de 2016, por ocasião do 40.º aniversário da claque. "Há 40 anos, a Juve empreendeu uma caminhada que já chegou ao dia de hoje e que nos irá acompanhar ao longo de vidas que desejamos sejam longas e coroadas de sucessos e de alegrias",escreveu na altura.

Tensão após a eliminação da Taça

Consciente da importância das claques ao longo da história recente do Sporting, Bruno de Carvalho fez sempre questão de lhes dar um papel de relevo, até porque foram uma importante base de apoio nos seus mandatos como líder leonino. A maior prova disso foi ter nomeado, em setembro de 2016, um membro de cada uma das claques para integrar a comissão de audição aos anteriores presidentes do clube, na sequência da auditoria à gestão das anteriores direções.

Contudo, houve momentos de alguma tensão, em especial com a Juventude Leonina. Sobretudo em janeiro de 2017, quando a claque utilizou o Facebook para criticar Bruno de Carvalho e o treinador Jorge Jesus pela eliminação da Taça de Portugal, em Chaves. Nessa publicação era questionada a culpa do mau momento que a equipa de futebol atravessava, sendo criticada a contratação de alguns jogadores "que nem na distrital têm lugar". A claque revelava ainda que não iria tomar posição pública nas eleições de 4 de março, que reelegeria Bruno de Carvalho.

Precisamente dois dias depois da eleição para um novo mandato, o Sporting empatou com o V. Guimarães em Alvalade, e no final da partida Bruno de Carvalho foi junto das claques para justificar o mau resultado. Aliás, a presença do presidente junto das claques no final dos jogos era habitual, ao lado dos jogadores, para agradecer o apoio.

Apesar de alguns momentos tensos, a ligação do então líder leonino com as claques manteve-se bastante próxima e logo no início de 2018 Bruno de Carvalho deslocou-se na caixa de segurança dos adeptos leoninos em direção ao Estádio da Luz, onde assistiu ao dérbi com o Benfica na bancada.

Um mês depois, após uma assembleia geral conturbada, que o presidente leonino abandonou exigindo que fossem aprovadas as alterações estatutárias e o novo regulamento disciplinar, Bruno de Carvalho recebeu um forte apoio no Estádio António Coimbra da Mota, na Amoreira, onde o Sporting se deslocou para jogar com o Estoril. Na bancada, tarjas exibidas pela Juventude Leonina davam-lhe total apoio: "Bruno, a nossa união é de aço. 90% estão ao teu lado."

Adeptos divididos após derrota em Madrid

Por essa altura, a Juve Leo era de novo um forte aliado de Bruno de Carvalho, que após a derrota em Madrid, com o Atlético, escreveu no Facebook uma publicação na qual criticou os jogadores. O resultado não se fez esperar: no jogo seguinte, em Alvalade, com o Paços de Ferreira, o presidente foi alvo da generalidade dos adeptos que pediam a sua demissão, algo que contrastava com a Juventude Leonina, que no seu setor optava por culpabilizar os jogadores, num claro braço-de-ferro entre as duas partes, não se pronunciando sobre o líder.

Rui Patrício, como um dos capitães de equipa, era um dos jogadores em conflito aberto com o presidente, e o arremesso de tochas contra o guarda-redes por parte da claque num jogo com o Benfica, em Alvalade, agudizava o clima tenso. No entanto, Bruno de Carvalho demarcou-se dessa ação. Uma semana depois, a equipa deslocou-se à Madeira para defrontar o Marítimo, onde uma vitória garantia desde logo o apuramento para a Liga dos Campeões. Ao contrário do habitual, o presidente optou por deslocar-se ao Porto para assistir na bancada ao jogo de hóquei em patins entre o Sporting e o FC Porto para a Liga Europeia.

No dia seguinte, a derrota no Funchal deu origem a insultos por parte de membros da claque dirigidos aos jogadores no aeroporto, quando a comitiva se preparava para embarcar para Lisboa. Era o prenúncio para aquilo que iria acontecer a meio da semana, com a invasão a Alcochete, onde vários jogadores foram agredidos em pleno balneário, caso que deu origem a um processo-crime, no qual estão detidos vários elementos que participaram nesse ato.

A 18 de maio, a claque Juventude Leonina realizou uma conferência de imprensa para falar dos tristes acontecimentos ocorridos na Academia de Alcochete. E Mustafá, líder da claque, que também foi detido no domingo, fez questão de desculpabilizar Bruno de Carvalho: "Em nenhum momento houve um pedido, sugestão ou sequer aval do presidente ou de qualquer elemento do Sporting para que a Juve Leo desencadeasse qualquer ação contra os nossos jogadores, o nosso mister (Jorge Jesus), o staff técnico ou qualquer elemento da Academia de Alcochete."

Ainda numa altura em que o ataque à Academia estava na ordem dia, a 21 de maio, a direção do Sporting emitiu um comunicado a anunciar a "suspensão imediata dos benefícios protocolados" à claque Juventude Leonina.

Bruno de Carvalho sempre garantiu que nada tinha que ver com o que aconteceu, mas no final da assembleia geral do Sporting em que foi destituído da presidência, a 23 de junho, surgiu acompanhado por vários elementos da claque, que se insurgiram contra a sua queda.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG