Bola de Ouro. Com Ronaldo e Messi fora do Mundial quem pode ir à luta?

Se a votação fosse hoje, o português estava na pole position para vencer. Mas o desenrolar do Mundial pode trazer surpresas. Mbappé, Neymar, Modric...

Cristiano Ronaldo e Lionel Messi, os crónicos candidatos a vencer a Bola de Ouro, troféu que premeia anualmente o melhor jogador do Mundo, saíram de cena nos oitavos de final do Mundial da Rússia. Será que o que fizeram até aqui basta para voltarem a ser coroados? Ou haverá neste momento mais candidatos?

A verdade é que o que resta do Mundial pode ainda mexer com as contas da Bola de Ouro e há (pelo menos) um jogador que promete intrometer-se nesta luta que na última década só conheceu dois candidatos: Ronaldo e Messi.

Falamos de Kylian Mbappé, internacional francês de 19 anos que tem dado nas vistas neste Mundial - contra a Argentina, no jogo dos oitavos de final, foi o homem do jogo, ao apontar dois golos após exibição de sonho.

Se a votação terminasse hoje, Cristiano Ronaldo tinha todas as condições para sair vencedor e erguer o seu sexto troféu, ultrapassando Messi. Pois além das exibições e dos golos marcados esta temporada, tem uma Liga dos Campeões para exibir ao serviço do Real Madrid, competição que é mais valorizada do que o campeonato espanhol conquistado por Lionel Messi. E deixou a sua marca na Rússia, com quatro golos, contra os dois de Messi.

O problema é que o Mundial pode ditar as regras. Aliás, há um bom exemplo de como esta competição tem influência na entrega da Bola de Ouro. Em 2006, o defesa italiano Fabio Cannavaro venceu com surpresa este troféu. E porquê? Porque a Itália se sagrou campeã do Mundo.

É por isso que Mbappé é neste momento uma carta dentro do baralho. A nível interno, sagrou-se campeão francês pelo Paris-Saint Germain (e venceu também a Taça de França), apontando um total de 21 golos em todas as competições. E a manter esta forma no Mundial e se os gauleses ganharem o torneio, é de facto um sério candidato.

Mas há mais candidatos. A dado momento da época, devido a uma lesão que o afastou vários meses dos relvados, Neymar caiu neste ranking. Mas apesar de não estar a deslumbrar, tem sido um dos jogadores mais importantes da seleção brasileira no torneio da Rússia, uma crónica candidata ao título mundial. E há que contar com ele.

Depois há ainda o caso de Luka Modric, que tal como Ronaldo conquistou a última edição da Champions. O médio está a exibir-se a um nível elevado neste Mundial e a Croácia (joga este domingo com a Dinamarca o acesso aos quartos de final) tem sido uma das boas surpresas da prova.

Noutro patamar, mais dois jogadores. Edinson Cavani (Uruguai) e Kevin De Bruyne (Bélgica). O sul-americano foi o carrasco de Portugal nos oitavos de final, autor dos dois golos. E tem a seu favor uma grande temporada ao serviço do PSG, onde se sagrou campeão e foi o melhor marcador do campeonato francês com 28 golos. O belga foi um dos pêndulos do campeão inglês Manchester City, treinado por Pep Guardiola, e é uma das figuras da seleção da Bélgica. Esta dupla, contudo, parece partir um pouco atrás nesta corrida pela Bola de Ouro. Mas caso as seleções que representam se sagrem campeãs do Mundo e eles tenham tido influência...

O egípcio Mohamed Salah, após uma época de sonho no Liverpool, chegou a estar nesta corrida. Mas acabou prejudicado pela má campanha do seu país no torneio da Rússia e deverá ficar de fora até dos três nomeados. Há ainda um nome a levar em conta: Harry Kane. O avançado inglês é neste momento o melhor marcador do Mundial (cinco golos), mas tem a seu desfavor o facto de atuar no Tottenham, clube que não venceu qualquer troféu esta temporada.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG