Benfica só foi campeão uma vez após mudar treinador durante a época

Rui Vitória está de saída da Luz. Há um histórico de insucesso nas 14 temporadas em que houve mais que um técnico. A exceção foi em 1967/68

O Benfica só foi campeão nacional uma vez nas 14 temporadas em que mudou de treinador com o campeonato a decorrer. A saída de Rui Vitória não abre assim grandes perspetivas naquilo que é o sucesso desta temporada, isto a avaliar pelo registo histórico do clube da Luz.

É que só em 1967/68 os encarnados conseguiram chegar à conquista do título, depois de o então presidente Adolfo Vieira de Brito ter demitido Fernando Riera após uma derrota (0-1) na Taça dos Campeões, em França, com o Saint-Étienne, que no entanto não impediu o Benfica de seguir para os quartos-de-final da prova. Na altura, divergências entre o treinador chileno e a direção originaram a mudança no comando técnico.

Para o lugar do chileno entrou Fernando Cabrita, que herdou a equipa na liderança do campeonato em igualdade pontual. Contudo, o português só esteve no cargo pouco mais de quatro meses, pois a cinco jornadas do final do campeonato, o Benfica foi derrotado (0-2) no Barreiro pela CUF e perdeu a liderança para o Sporting, tendo para o seu lugar sido contratado o brasileiro Otto Glória, que na antepenúltima jornada venceu o Sporting, na Luz, por 1-0 (golo de Eusébio), e saltou para a liderança acabando por conquistar o título nacional. Além disso, ainda chegou à final da Taça dos Campeões Europeus, que acabaria por ser perdida, no Estádio de Wembley, em Londres, diante do Manchester United.

Esta foi a única vez que o Benfica teve sucesso no campeonato depois de ter mudado de treinador. Ainda assim, noutras três temporadas o Benfica acabou por ter a consolação de ter conquistado a Taça de Portugal. Foi em 1969/70, após Otto Glória ter sido substituído por José Augusto em fevereiro; em 1992/93, quando Tomislav Ivic foi rendido por Toni logo em outubro; e ainda em 1995/96 após Artur Jorge ter sido despedido, entrando Mário Wilson logo no início de setembro.

Há que fazer aqui uma ressalva que tem a ver com a época 1958/59, na qual Otto Glória faz toda a temporada à frente da equipa, tendo sido substituído antes do último jogo da temporada, que foi precisamente a final da Taça de Portugal, que acabou por ser conquistada com o argentino José Valdivieso à frente da equipa.

Ou seja, o próximo treinador do Benfica terá de inverter esta tendência histórica de insucesso quando muda de treinador no decorrer da temporada. E o presidente Luís Filipe Vieira já tem experiência disso mesmo no seu longo reinado à frente do clube da Luz, pois nas duas vezes em que trocou de treinador não conquistou qualquer título. Foi em 2002/03 quando Jesualdo Ferreira foi demitido e substituído por Fernando Chalana de forma interina e depois por José Antonio Camacho; e em 2007/08, quando Fernando Santos começou a época, passando depois o testemunho a Camacho, tendo Chalana terminado a temporada.

Eis todas as mudanças de treinador do Benfica no decorrer do campeonato:

1953/54: Ribeiro dos Reis - José Valdivieso
1967/68: Fernando Riera - Fernando Cabrita - Otto Glória
1969/70: Otto Glória - José Augusto
1973/74: Jimmy Hagan - Fernando Cabrita
1987/88: Ebbe Skovdhal - Toni
1992/93: Tomislav Ivic - Toni
1995/96: Artur Jorge - Mário Wilson
1996/97: Paulo Autuori - Mário Wilson
1997/98: Manuel José - Mário Wilson - Graeme Souness
1998/99: Graeme Souness - Shéu Han
2000/01: Jupp Heynckes - José Mourinho - Toni
2001/02: Toni - Jesualdo Ferreira
2002/03: Jesualdo Ferreira - Fernando Chalana - José Antonio Camacho
2007/08: Fernando Santos - José Antonio Camacho - Fernando Chalana

Mais Notícias

Outras Notícias GMG