A ilusão de um golo cedo quase tramava o Benfica

Encarnados empataram esta quinta-feira com os escoceses no terceiro jogo da fase de grupos da Liga Europa (3-3) no Estádio da Luz. É o segundo jogo seguido sem vencer da equipa de Jesus, que no fim de semana joga com o Sp. Braga

Um minuto dá para mudar muita coisa num jogo de futebol e o Benfica-Rangers desta quinta-feira é um bom exemplo disso. Os encarnados estiveram a vencer, estiveram a perder e acabaram empatados (3-3). Um jogo marcado por dois autogolos, uma expulsão (Otamendi), uma reviravolta no marcador e uma recuperação fantástica. Ingredientes que fizeram do jogo mais interessante do que o que realmente foi. A equipa de Jesus voltou a sentir muitas dificuldades e só com Waldschmidt e Darwin em campo as coisas começaram a fluir. O empate tem sabor a vitória, uma vez que os encarnados jogaram com menos um desde os 19 minutos, e manteve as águias invictas na Luz (são agora 24 jogos sem perder na Liga Europa, desde 2009-10).

Começar melhor era impossível. Depois de ver o Ferrari vermelho chocar contra uma pantera do Bessa (derrota por 3-0), Jorge Jesus viu o Benfica entrar no jogo a ganhar. Rafa teve a via verde até à grande área escocesa. Connor Goldson ficou tão assustado com o atrevimento do médio benfiquista no primeiro minuto de jogo que se atrapalhou e meteu a bola na própria baliza, antes que ela chegasse a Seferovic. Gerard temia isso. O treinador do Rangers tinha confessado que era importante não ceder à pressão alta do Benfica no início, mas nada pode fazer perante o azar de Connor.

O golo madrugador dos encarnados podia não estar nos planos, mas a reação escocesa estava estudada e contou com a colaboração de Otamendi. O central travou Morales, que ia disparado para a baliza de Vlachodimos e foi expulso.

A jogar com menos um Jesus sacrificou Pizzi, que atuava como segundo avançado ao lado de Seferovic, para fazer entrar Jardel e equilibrar o quarteto defensivo. O técnico só não contava com o azar de Diogo Gonçalves, uma das quatro novidades no onze encarando - Gilberto, Gabriel, Darwin e Waldschmidt foram rendidos por Diogo Gonçalves, Weigl, Rafa Silva e Haris Seferovic. O miúdo fez o empate e ficou de mãos na cabeça. Atordoados os encarnados sofreriam o 2-1 logo a seguir. Kamara, uma das duas novidades do onze escocês - a outra foi Steven Davis - consumou a reviravolta no marcador com uma remate certeiro. E assim, em apenas um minutos tudo mudou.

Waldschmidt e Darwin saltaram do banco para construir o empate

Incapaz de voltar a criar perigo junto da baliza do Rangers, a equipa de Jorge Jesus precisava do intervalo. No regresso os encarnados voltaram com os laterais renovados. Diogo Gonçalves deu lugar a Gilberto e Nuno Tavares foi substituído por Grimaldo. Mas o Rangers nem deu tempo para eles acertarem posições. Aos 51 minutos Morales fez o 3-1 com toda a tranquilidade. E se Diogo Gonçalves foi infeliz ao marcar um autogolo, Gilberto permitiu a entrada de Morales no 3-1 e ainda deixou fugir Ryan Kent que aos 63 minutos acertou no poste. E que falta iria fazer este golo aos escoceses.

Mesmo sem conseguir fazer jogadas de encher o olho, o Benfica reduziu por Rafa. O médio que obrigou Connor a fazer autogolo no primeiro minuto de jogo deu alento aos encarnados a 15 minutos do fim. Do outro lado, a equipa de Gerard continuava a desperdiçar. E quando já se esperava pelo apito final, eis que Waldschmidt lançou o amigo Darwin para o empate. Ambos tinham acabado de entrar e o uruguaio já tinha ajudado Rafa no 3-2.

E assim a um minuto do fim do jogo o marcador voltou a sofrer alterações. O empate tem sabor a vitória para as águias, mas é bom não esquecer que o Benfica sofreu assim três golos pelo segundo jogo consecutivo, depois dos 3-0, de segunda-feira, com o Boavista. O Rangers é a terceira equipa a marcar três golos em casa do Benfica na Liga Europa, depois do Bayern Munique (1995) e Shakhtar (2020), e partilha com os portugueses a liderança do grupo D ao fim de três jornadas (sete pontos), mais quatro do que o Lech Poznan, que hoje venceu o Standard Liège (3-1), que ainda não pontuou.

FICHA DE JOGO

Jogo realizado no Estádio da Luz, em Lisboa.

Benfica -Rangers, 3-3.

Marcadores: 1-0, Connor Goldson, 2 minutos (própria baliza); 1-1, Diogo Gonçalves, 24' (própria baliza); 1-2, Glen Kamara, 25'; 1-3, Alfredo Morelos, 51'; 2-3, Rafa, 77'; 3-3, Darwin, 90'+1'

Equipas:

Benfica: Vlachodimos, Diogo Gonçalves (Gilberto, 46'), Otamendi, Vertonghen, Nuno Tavares (Grimaldo, 46'), Weigl, Taarabt, Rafa, Everton (Waldschmidt, 67'), Pizzi (Jardel, 21') e Seferovic (Darwin, 60')

Treinador: Jorge Jesus

Rangers: Allan McGregor, James Tavernier, Connor Goldson, Filip Helander, Borna Barisic, Steven Davis, Ryan Jack, Glen Kamara, Joe Aribo (Scott Arfield, 69'), Ryan Kent e Alfredo Morelos

Treinador: Steven Gerrard

Árbitro: Jesús Gil Manzano (Espanha)

Ação disciplinar: Cartão vermelho direto para Otamendi (19')

Assistência: Jogo realizado à porta fechada devido à pandemia de covid-19

Mais Notícias