Benfica pede árbitros estrangeiros nos seus jogos e nos do FC Porto

Numa nota publicada no seu site, os encarnados contestam o árbitro Artur Soares Dias e o VAR Tiago Martins na análise de vários lances do clássico.

O Benfica publicou este domingo uma nota no seu site oficial onde contesta a atuação do árbitro Artur Soares Dias e do VAR Tiago Martins na análise de vários lances do clássico que o FC Porto venceu por 3-2, no Estádio do Dragão, a contar para a 20.ª jornada da I Liga.

Esta nota termina com os encarnados a apelarem à Liga e à Federação Portuguesa de Futebol que, "em nome da preservação da verdade desportiva", que tomem "as medidas adequadas e diligenciem no sentido de nomearem árbitros estrangeiros internacionais para todos os jogo do Benfica e do FC Porto até ao final desta época". Uma ideia que é suportada no "histórico das constantes insinuações, ameaças, coações, pressões e suspeitas sobre as equipas de arbitragem".

Os encarnados recordam ainda que "no dia 29 de junho de 2016, a Assembleia Geral da Federação Portuguesa de Futebol aprovou um novo regulamento de arbitragem que passou a possibilitar a nomeação de árbitros estrangeiros".

Os benfiquistas lançam uma questão antes de elencarem o extenso rol de decisões que entendem ter sido erradas no clássico: "Será que o que aconteceu ontem foi uma arbitragem e um VAR ao serviço de uma pretensa 'competitividade do futebol português' que tantos pugnaram ao longo desta semana e assim beneficiando o FC Porto?"

O Benfica defende que "logo aos quatro minutos" houve "uma clara agressão de Marega a Taarabt (com perda de dentes inclusive para o jogador), que terá passado "totalmente incólume, nem merecendo um amarelo". Falam ainda de "dualidade de critérios" a meio da primeira parte do ponto de vista disciplinar, queixando-se que Otávio e Alex Telles "não mereceram qualquer amarelo" em jogadas com Rafa e André Almeida, respetivamente, enquanto "todos o meio-campo do Benfica viria a ser amarelado", defendendo que Weigl viu o cartão amarelo "num lance em que nem sequer tocou no adversário", razão pela qual anuncia que irá avançar com o "pedido de despenalização" do jogador alemão.

A nota dos encarnados considera, no entanto, que "o pior" aconteceu ao minuto 35: "A marcação de uma grande penalidade a favor do FC Porto por árbitro e VAR que não quiseram ver o que todas as imagens mostram. A falta nítida de Soares, que agarra a camisola e empurra Ferro."

O Benfica fala ainda de "uma imagem que exemplifica a total subserviência e um fechar de olhos inexplicáveis sobre o que estava à vista de todos". "A brutal agressão a soco de Pepe a Taarabt de frente para o árbitro, com este a ver, e que nem ele nem o VAR assinalam. Lance para clara expulsão", advogam os encarnados.

A nota fala ainda no cartão amarelo mostrado a Vlachodimos "depois de levar com bolas de golfe vindas da bancada e de as mostrar ao árbitro", acrescentando ainda de uma outra imagem que "diz tudo sobre o vale-tudo que foi este jogo: Pepe com o quarto árbitro no colo a festejar".

O Benfica desmente ainda que o diretor desportivo Rui Costa, o diretor-geral Tiago Pinto e o treinador Bruno Lage tenham felicitado o árbitro pela arbitragem: "O que aconteceu foi apenas que, quando o árbitro se cruzou e fez questão de cumprimentar aqueles responsáveis do SL Benfica, se limitou a existir um breve cumprimento de 'boa noite'."

Mais Notícias

Outras Notícias GMG