FIFA condena Benfica a indemnizar Bilal. Águias vão recorrer

Organismo não reconheceu justa causa no despedimento do jogador, que aconteceu em 2017. Águias já anunciaram que vão recorrer.

O Benfica foi condenado nesta quarta-feira pela FIFA a pagar 3,5 milhões de euros ao extremo holandês Bilal Ould-Chikh.

O organismo que tutela o futebol mundial não reconheceu a justa causa alegada pelas águias no despedimento do jogador, que remonta a 2017, tendo o clube encarnado, o Utrecht - clube ao qual Bilal se vinculou após deixar a Luz -, a Federação Portuguesa de Futebol, a Federação Holandesa e a UEFA já sido notificados.

Entretanto, o Benfica informou que recebeu a decisão proferida pela Dispute Resolution Chamber(Câmara de Resolução de Disputas) da FIFA e "requereu de imediato os fundamentos da mesma com vista a interpor recurso para o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) de Lausana".

"A SL Benfica - Futebol, SAD mantém a convicção de que o despedimento do referido atleta se justificou face ao comportamento desportivo e social deveras censurável e, como tal, é legalmente sustentável, não deixando, por isso, de reclamar a devida indemnização junto do Tribunal Arbitral do Desporto de Lausana", acrescentam as águias.

Bilal, então com 18 anos, foi contratado pelo Benfica no verão de 2015 após ter representado a seleção holandesa sub-19 no Europeu da categoria, mas apenas jogou na equipa B, tendo disputado 13 jogos, sem qualquer golo para amostra.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG