Benfica acusa Liga Portugal de "tripla irresponsabilidade" no regresso da II Liga

Os encarnados criticam a proposta de regresso do segundo escalão a 22 de agosto, pois defendem que não defendem a integridade dos jogadores, da competição e têm em conta as normas das autoridades de saúde.

O Benfica emitiu esta sexta-feira um comunicado no qual manifesta "preocupação e discordância" relativamente ao calendário da II Liga proposto pela Liga Portugal, que prevê o reinício do campeonato para o dia 22 de agosto.

Os encarnados assumem que esperavam que a retoma deste campeonato fosse feito "de forma mais cautelosa e responsável" por forma a proteger "a condição físico-atlética" dos jogadores, após a paragem motivada pela pandemia de covid-19.

E, nesse sentido, acusa a Liga Portugal de fazer "um triplo exercício de irresponsabilidade", pois considera que "mesmo que o regresso aos treinos fosse autorizado pelas autoridades até ao próximo domingo, as equipas teriam apenas seis semanas de preparação", ao mesmo tempo assume que a Liga avança com o regresso da prova "sem ter qualquer orientação ou perspetiva do que serão as imposições das autoridades de saúde pública" e, finalmente, criticam o facto de a proposta de calendário implicar que se disputem jornadas em datas FIFA, o que põe "em causa a integridade da competição", pois as equipas B do Benfica e do FC Porto "têm, por norma, vários dos seus jogadores jovens envolvidos nas seleções nacionais".

Os encarnados referem ainda que a proposta inicial contemplava uma retoma da II Liga a 20 de setembro, o que, dizem, seria uma "decisão prudente porque permitia um recomeço gradual dos treinos e um período de mais de 9 semanas de pré-época".

Eis o comunicado na íntegra:

"O Sport Lisboa e Benfica manifesta a sua preocupação e discordância face ao calendário proposto pela Liga Portugal para a LigaPro (Segunda Liga) pelas seguintes razões:
1 - Com o cancelamento da LigaPro, em março passado, por força da pandemia e com as fortes limitações para o treino de um futebolista profissional, impostas pelas autoridades de saúde pública, esperava-se que a retoma da época 2020/21 fosse feita da forma mais cautelosa e responsável, tendo em conta a necessidade de proteger a condição físico-atlética dos atletas, após paragem tão prolongada.

2 - Infelizmente, a proposta de calendário apresentada para a LigaPro vai em sentido contrário e é, do ponto de vista técnico, um triplo exercício de irresponsabilidade da Liga Portugal e de quem subscreve tal decisão.

Em primeiro lugar, porque prevê o início da competição para 22 de agosto. Acontece que mesmo que o regresso aos treinos fosse autorizado pelas autoridades até ao próximo domingo, as equipas teriam apenas seis semanas de preparação, e mesmo essa hipótese revela-se impossível de ocorrer.

Em segundo lugar, porque o faz sem ter qualquer orientação ou perspetiva do que serão, na presente data, as imposições das autoridades de saúde pública.

Em terceiro lugar, a proposta de calendário apresentada coincide com as datas FIFA, pondo em causa a integridade da competição. As equipas B do SL Benfica e do FC Porto têm, por norma, vários dos seus jogadores jovens envolvidos nas Seleções Nacionais que terão competições nessas datas. O que levanta diversas questões de que destacaríamos: Vão essas jornadas ser adiadas? Ou os Clubes que defrontarem estas duas equipas B terão vantagem nessas jornadas sobre as restantes? Não foi sempre uma preocupação da Liga Portugal a integridade da competição no que à participação de equipas B diz respeito?

3 - Importa realçar que a primeira proposta da Liga Portugal, apresentada há cerca de uma semana, propunha um início da competição para 20 de setembro. Decisão prudente porque permitia um recomeço gradual dos treinos e um período de mais de 9 semanas de pré-época e daria mais tempo à Liga Portugal para, em colaboração com a FPF, trabalhar com as autoridades de saúde na definição do mais adequado protocolo sanitário para a realidade da LigaPro.

O ​​​​​​​Sport Lisboa e Benfica garante que, pela sua parte, cumprirá de forma escrupulosa todas as normas e protocolos sanitários em vigor e contribuirá para a imagem positiva e responsável que o futebol tem dado, apelando a que o bom senso volte a prevalecer na defesa e salvaguarda dos atletas e das competições."

Mais Notícias