Autocarro do Benfica apedrejado. Dois jogadores feridos

Weigl e Zivkovic tiveram de receber tratamento no Hospital da Luz. Clube já reagiu e promete colaboração com as autoridades no "no sentido de identificar os delinquentes responsáveis por estes atos criminosos".

O autocarro do Benfica foi apedrejado na auto-estrada A2, no regresso da equipa encarnada ao Seixal, após o jogo com o Tondela, que terminou empatado (0-0), da 25.ª jornada da I Liga. Segundo confirmou fonte do clube ao DN, os jogadores Zivkovic e Weigl sofreram mesmo ferimentos e tiveram de receber assistência hospitalar no Hospital da Luz.

No final do jogo a comitiva encarnada dividiu-se me dois autocarros para voltar ao centro de treinos onde têm estado em estágio, quando um dos autocarros foi apedrejado. Os estilhaços atingiram o sérvio e o alemão. Segundo fonte do Benfica, Zivkovic é o jogador que revela mais preocupações, uma vez que terá sido atingido numa vista por estilhaços.

No caso de Weigl o incidente fez reviver o trauma vivido em abril de 2017 quando o autocarro do Borussia Dortmund sofreu um atentado à bomba. O alemão fazia parte do plantel do clube alemão que foi alvo de um ataque quando seguia para o Estádio Signal Iduna Park, onde deveria jogar com o Mónaco nos quartos-de-final da Champions.

"O Benfica repudia e lamenta o criminoso apedrejamento de que foi vítima o autocarro dos seus jogadores à saída da A2, quando se dirigia para o Centro de Estágios do Seixal, no final do jogo frente ao Tondela, realizado na noite de quinta-feira no Estádio da Luz.. Informamos que, por uma questão de precaução, os jogadores Julian Weigl e Zivkovic, de imediato, foram levados ao Hospital da Luz para serem observados, na sequência dos estilhaços que os atingiram", comunicou o clube da Luz, garantindo "total colaboração com as autoridades" no "no sentido de identificar os delinquentes responsáveis por estes atos criminosos".

Também a Liga já repudiou o ataque "cobarde" às águias. "É absolutamente inaceitável que acontecimentos como estes continuem a ter espaço na sociedade, sendo fundamental deixar claro que os autores destes atos não são adeptos de futebol, mas sim criminosos", lamentou em comunicado, o organismo presidido por Pedro Proença, lembrando que sucede numa altura em que "o futebol português uniu esforços para retomar uma atividade que faz vibrar milhões de pessoas no nosso País".

A PSP já confirmou a "pedrada" ao autocarro dos encarnados, embora ressalvando que não foi possível identificar o autor ou autores do crime. Fica a incógnita sobre a autoria do ataque, se adeptos do clube descontentes com o empate desta quinta-feira, adeptos rivais ou um incidente isolado sem ligação clubística.

O caso seguirá agora os tramites normais, com abertura de um inquérito por parte do Ministério Público.

O apedrejamento do autocarro do Benfica marca assim o regresso da I Liga, após paragem de quase três meses devido à pandemia do covid-19. Um regresso sem público nas bancadas por imposição da Direção Geral da Saúde, embora os adeptos do FC Porto e do Benfica tenham ido ao local do jogo da sua equipa para manifestar apoio na luta pelo título.

Os momentos que antecederam o jogo com o Tondela, nomeadamente a chegada do autocarro da equipa ao Estádio da Luz, já tinham sido marcados por alguma tensão entre adeptos encarnados e a polícia. Estes incidentes podem comprometer o desejo dos clubes de ter adeptos nos estádios nos jogos que faltam para acabar o campeonato.

Antevendo a existência de problemas, a Autoridade para a Prevenção e o Combate à Violência no Desporto lançou um apelo contra a violência na véspera do regresso do futebol.

Mais Notícias