Atleta agredido quando preparava ultramaratona solidária

Um atleta sul-africano, antigo vencedor da ultramaratona Comrades, recupera de um violento assalto enquanto treinava na montanha de Magaliesberg, nos arredores de Pretória.

Nick Bester, de 60 anos, uma referência no desporto na África do Sul, estava a treinar para uma ultramaratona de 200 quilómetros com o objetivo de angariar fundos para as vítimas do novo coronavírus.

A prova, intitulada Brightrock Battle of the Sports, vai pôr à prova atletas de várias modalidades, do futebol ao râguebi, tendo como finalidade obter cem milhões de rands (um pouco menos de cinco milhões de euros) para ajudar quem mais precisa devido à pandemia.

"Nick sofreu costelas partidas, um osso da face partido, e numerosos cortes profundos na cabeça no domingo depois de ter sido atacado por várias pessoas", disse um familiar à AFP. "Foi pontapeado, espancado com pedras, arrastado por uma colina e amarrado com as suas próprias roupas antes de escapar, deslizando de costas. Ele está a recuperar num hospital de Pretória."

Bester chegou a estar internado nos cuidados intensivos, mas foi transferido para uma ala de cuidados cardíacos.

Bester também foi atacado há dez anos enquanto treinava, de bicicleta, e em 2016 sofreu ferimentos ao resgatar um amigo que corria o risco de ser atacado por um tubarão. Devido ao ataque que sofreu há dez anos, o atleta passou a treinar com um revólver, o que não impediu o ataque.

O filho, Shaun-Nick, relatou ao EWN Sports o que o pai contou na cama do hospital: "Ao subir a montanha, de repente sentiu alguém bater-lhe por trás. Depois, havia três tipos à sua volta e começaram a bater-lhe com pedras na cabeça. Pegaram na sua arma e acertaram-lhe no olho com a arma. Levaram também o seu telemóvel e alguns cartões bancários. Forçaram-no a dar-lhes os códigos das contas. Por fim, amarraram-no, tiraram-lhe as calças e deixaram-no lá nas montanhas."

Shaun-Nick disse ainda que o pai, apesar de se sentir confuso, reconheceu "ter sorte em estar vivo".

Bester, atualmente treinador de atletismo, é um veterano triatleta, vencedor de 1991 da mais antiga ultramaratona do mundo, Comrades. Realizada pela primeira vez em 1921, tem 89 quilómetros de distância e liga as cidades de Durban e Pietermaritzburg, na província de KwaZulu-Natal oriental.

Mais Notícias