Autarca de Guayaquil contraria autoridades de saúde. Flamengo vai mesmo jogar

As autoridades sanitárias equatorianas começaram por interditar o estádio por causa do surto que atingiu a equipa brasileira, que tem sete jogadores infetados. A presidente da Câmara levantou a interdição e o jogo com o Barcelona Guayaquil para a Taça Libertadores vai mesmo realizar-se.

Volta tudo ao princípio! O Flamengo vai mesmo jogar esta terça-feira (20.15 horas em Portugal continental) no Equador frente ao Barcelona Guayaquil, a contar para a 4.ª jornada da fase de grupos da Taça Libertadores.

Menos de uma hora depois de as autoridades sanitárias terem interditado o estádio e comunicado à Conmebol [confederação de futebol da América do Sul] o cancelamento do jogo, eis que a presidente da Câmara de Guayaquil, Cynthia Viteri, se sobrepõe às autoridades de saúde do Equador e liberta o recinto para que possa haver jogo. "O estádio Monumental não está interditado", disse.

Nesse sentido, tendo em conta que o protocolo da Conmebol não prevê a possibilidade de adiamento do jogo, razão pela qual autorizou a inscrição de 50 jogadores por cada equipa participante na Taça Libertadores. Aliás, de acordo com os regulamentos, cada equipa é obrigada a entrar em campo desde que tenha sete jogadores disponíveis, sendo que quando o número for inferior ela será punida com a pena de derrota.

Cerca das 20.00 horas (horário de Lisboa) as autoridades sanitárias do Equador contrariavam as normas da Conmebol dando o recinto como interditado. "O estádio Monumental está inabilitado. Pelo menos neste estádio não haverá jogo. Já enviamos uma carta à Conmebol a informar da decisão", revelou Carlos Luis Salvador, diretor de saúde e higiene da cidade de Guayaquil, após a inspeção feita ao hotel onde está instalada a comitiva do Flamengo, que tem sete jogadores infetados, além do médico e de um diretor.

O Flamengo está em alerta máximo há já alguns dias devido aos casos de covid-19 que atacaram a sua equipa principal, que se encontra no Equador desde a semana passada, uma vez que na quinta-feira à noite jogou e foi goleado (0-5) pelo Independiente del Valle, mantendo-se assim no país para defrontar o Barcelona.

Ao início da tarde, numa publicação no Twitter, o clube carioca anunciou que o médico Márcio Tannure e o diretor Juan Santos testaram positivos, ficando de imediato em isolamento no hotel, tal como os jogadores Bruno Henrique, Mauricio Isla, Diego Ribas, Filipe Luís, Michael, Matheuzinho e Vitinho.

O dia foi um autêntico carrossel de emoções para o Flamengo, uma vez que por causa dos infetados, mas também porque Gabriel Barbosa está lesionado e Gustavo Henrique cumpre castigo, o treinador Domènec Torrent mandou vir do Brasil quatro jovens das equipas de formação para compor a equipa para jogar com o Barcelona Guayaquil.

Só que o avião que levava Natan, Guilherme Bala, Rodrigo Muniz e João Lucas esteve impedido de entrar no espaço aéreo do Peru, tendo inclusive sido obrigado a fazer uma paragem forçada em Manaus, de onde teve autorização para sair cerca de seis horas antes do início do jogo.

(Notícia atualizada às 21.22 horas)

Mais Notícias