Ainda a final da Taça Libertadores. River Plate recusa jogar no Bernabéu

Continua assim num impasse a final de uma das maiores provas de clubes a nível mundial. A CONMEBOL decidiu, juntamente com a FIFA, mudar o palco da final da Taça Libertadores para o Santiago Bernabéu, casa do Real Madrid, no próximo dia 9 de dezembro. Falta de comparência pode dar troféu ao Boca.

O River Plate recusa jogar a final da Taça Libertadores no Santiago Bernabéu, em Madrid. Num comunicado enviado à imprensa, o clube explicou que considera que a mudança de estádio "prejudica quem já adquiriu os seus bilhetes e a igualdade de condições", uma vez que a primeira mão realizou-se no estádio do Boca Juniors perante os seus adeptos.

O jogo da segunda mão da final foi suspensa e adiada depois dos adeptos do River terem atacado o autocarro onde seguiam jogadores do Boca. No entanto, no comunicado, onde inúmera os motivos que explicam a decisão de não jogar em Madrid, o clube argentino recusa responsabilidades nos incidentes de há uma semana: "Não foi da responsabilidade do clube".

Além disso, segundo, os dirigentes do River, o clube não pode ser responsabilizado por atos de uma minoria: "Mais de 66 mil adeptos aguardaram pacientemente durante aproximadamente oito horas no sábado e voltaram ao estádio no domingo, sendo-lhes negada a oportunidade de presenciar o espetáculo devido aos custos e distância do palco escolhido."

Por isso, para o River "é incompreensível que o clássico mais importante do futebol argentino não possa ter lugar com normalidade no mesmo país em que, nos dias que correm, acontece a reunião do G20". Além disso, "nem o futebol argentino, nem a Federação pode permitir que um bando de adeptos violentos impeçam a realização do Superclásico no nosso país".

A CONMEBOL decidiu, juntamente com a FIFA, mudar o palco da final da Taça Libertadores para o Santiago Bernabéu, casa do Real Madrid, no próximo dia 9 de dezembro. Ou seja, caso o River continue a recusar jogar em Madrid, o Boca pode ganhar na secretaria por falta de comparência do rival e adversário.

FIFA faz aviso: "A bola não pode parar..."

Gianni Infantino deixou uma garantia: a decisão final no que toca à realização da final da Taça Libertadores pertence à CONMEBOL e não ao River Plate. "A bola não pode parar, temos todos se ver como podemos criar condições para que se jogue", afirmou Infantino em conferência de imprensa em Buenos Aires, onde participa no G20.

O presidente da FIFA soube através de um jornalista da recusa do River, mas deixou a decisão final nas mãos da CONMEBOL: "Eu não sabia disso. A CONMEBOL vai ter de tomar uma decisão, mas a minha convicção pessoal é que se tem sempre de jogar."

Mais Notícias