A vez do breakdance. Jogos Olímpicos ganham nova modalidade

O breakdance fará a sua estreia olímpica em Paris2024, decidiu o Comité Olímpico Internacional (COI), na reunião da sua comissão executiva, que teve lugar esta segunda-feira por videoconferência.

Após a reunião, Thomas Bach, presidente do COI, revelou também que surf, skateboard e escalada, que entram já no programa para Tóquio, no próximo verão, são reconduzidos para 2024.

A comissão executiva do COI fixou o programa definitivo para Paris2024, juntando estas quatro modalidades "adicionais" às 28 tradicionais, ao mesmo tempo que regulou três princípios basilares - a descida em 600 do número de atletas, para 10.500, os pódios descem de 339 para 329 e a paridade exata entre participantes homens e mulheres (o que acontecerá pela primeira vez na história dos Jogos).

O breakdance ganha a outros dois candidatos, o karaté (que estará em Tóquio em 2021) e o bilhar, confirmando a vontade do COI em modernizar o programa e procurar audiências mais jovens.

Com a escalada, o surf e o skateboard, trata-se de dar espaço a "disciplinas inclusivas, cativantes e que podem ser praticadas fora dos recintos desportivos tradicionais", explicou Thomas Bach.

Para acolher as novas modalidades e fazer descer o total de participantes, o COI teve de alterar o programa das modalidades 'permanentes', nomeadamente com mais provas mistas, que passam de 18 para 22. Isso vai acontecer sobretudo graças à vela.

Por outro lado, atinge-se pela primeira vez a paridade no atletismo, ciclismo e pugilismo.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG