A história da cabeçada de Zidane a Materazzi contada pelo árbitro

Hector Elizondo e os seus dois assistentes não viram o lance que marcou a final do Mundial 2006. Foi o quarto árbitro que lhe relatou tudo o que aconteceu e o levou depois a expulsar o jogador francês

A cabeçada de Zidane a Materazzi na final do Mundial 2006 foi provavelmente uma das agressões mais mediáticas da história do futebol. Os dois jogadores já falaram do tema; o árbitro também. Mas 12 anos depois, o juiz Hector Elizondo voltou a falar do assunto, contando com mais pormenores o que realmente aconteceu e como decidiu expulsar o jogador francês mesmo não tendo visto o lance.

"A dada altura, a uns 30 ou 40 metros, vi o Materazzi estendido no relvado. Interrompi o jogo e perguntei aos meus assistentes, através da comunicação pelo auricular, o que se tinha passado. "Ambos de me responderam, num tom de surpresa, que não tinham visto absolutamente nada", começou por contar o ex-árbitro argentino esta semana durante uma conferência.

Foi então que entrou em cena Luis Medina Cantalejo, que era o quarto árbitro e se encontrava junto ao relvado, entre os bancos das duas seleções. "É terrível, terrível, uma cabeçada de Zidane a Materazzi. Quando vires o vídeo nem vais acreditar. Só lhe faltou dizer 'olé'", disse Cantalejo a Elizondo junto à linha.

Foi então depois da indicação do quarto árbitro que o juiz argentino tomou a decisão de expulsar Zidane, aos 108 minutos do prolongamento, numa altura em que as duas seleções estavam empatadas a um golo - a Itália sagrou-se depois campeã do Mundo após vencer no desempate por grandes penalidades.

Na altura, Zidane pediu desculpa pelo gesto, justificando que perdeu a cabeça porque Materazzi se dirigiu a ele insultando a mãe e a irmã. O defesa italiano só anos mais tarde veio dar a sua versão dos factos, reconhecendo que de facto insultou a irmã de Zidane.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG