Lobos aguentaram uma hora mas força georgiana acabou por impor-se

A seleção nacional de râguebi foi derrotada em Paris, pela Geórgia, por 39-24, mas garante continuidade no European Championship.

A seleção nacional de râguebi foi este sábado à tarde batida em Paris, pela Geórgia (39-24), em jogo a contar para a 4.ª jornada do European Championship. Aos 60 minutos Portugal ainda vencia o quinze de Leste por 24-22, mas nos derradeiros minutos o poderio georgiano acabaria por ditar lei. Mas a presença na prova para a próxima época ficou garantida face aos outros resultados da ronda.

Perante aquela que é a atual 12.ª seleção do ranking mundial e que vem marcando presença em sucessivas fases finais de Mundiais, a jovem equipa de Patrice Lagisquet voltou a fazer uma bela figura e quando aos 62", na sequência de uma penalidade ganha pela mêlée portuguesa por falta georgiana (!), o chutador Danny Antunes (autor de 14 pontos nacionais mas desperdiçou 9 em três penalidades) estabeleceu o resultado em 24-22 favorável a Portugal, uma valente surpresa perpassou pelo relvado do estádio Jean Bouin, esta tarde a casa utilizada pelos Lobos na receção ao seu poderoso adversário - e que se apresentou com demasiadas cadeiras vazias, pese embora o forte apoio que a seleção nacional foi tendo ao longo da partida pela comunidade portuguesa maioritariamente localizada em Paris.

Mas um jogo de râguebi tem 80 minutos e o poderio georgiano acabaria por vir ao de cima e com três ensaios marcados em tão-só 8 minutos - perante um quinze português a jogar com 14 face ao cartão amarelo mostrado a Caetano Castelo Branco - a diferença de oito posições no ranking mundial acabaria por ser justificada.

Portugal bem se pode orgulhar desta sua viagem a Paris: fez 24 pontos à Geórgia, algo que nenhuma equipa do Championship conseguiu esta época e marcou tantos ensaios neste jogo como os sofridos pelos georgianos nas anteriores três jornadas!

Lobos reagem à desvantagem

A seleção de Levan Maisashvili - que nos últimos 13 duelos venceu 11 e empatou dois, e não perde com Portugal desde 2005, já lá vão 15 anos! - começou a dominar e aos 4" inaugurava bem cedo o marcador num maul dinâmico após alinhamento (0-7). Mas os Lobos reagiram e dois minutos depois Manuel Cardoso Pinto empatava a partida finalizando lance iniciado numa excelente perfuração do pilar Diogo Hasse Ferreira que ganhou muitos metros, com o formação João Belo a transmitir ao seu irrequieto defesa (7-7).

O jogo prosseguia num ritmo intenso - com os Lobos a defenderem de forma corajosa e até heroica face ao peso e andamento dos adversários - e o capitão Beka Gorgadze colocava de novo a Geórgia na frente (12-7) correspondendo a boa fuga do ponta Tapladze colado à lateral. E com a Geórgia acampada no nosso meio-campo a sua falta de paciência permitiu uma bela interceção do ponta Danny Antunes ainda na nossa área de 22, seguida de sprint imparável para a cambalhota no resultado (14-12).

Mas antes do intervalo os homens de Leste voltariam para frente com o centro Kacharava a concluir uma boa circulação de bola, para 17-14 no descanso.

Grande recomeço de Portugal, pois logo no primeiro minuto uma poderosa arrancada pelo centro do 2.ª linha Luís Batista rasgou a defesa contrária de alto a baixo e deu a João Belo, para o n.º 9 fazer um ensaio que levantava a parte portuguesa das bancadas do Jean Bouin (21-17).
Perante a resiliência nacional os georgianos mostravam-se nervosos, tensos e iam cometendo muitas faltas, mas Danny Antunes não estava nos seus dias e desperdiçava duas penalidades consecutivas. E aos 56", novo maul após alinhamento dava o terceiro ensaio georgiano (21-22).

Portugueses sem combustível

Danny Antunes ainda passou Portugal para a frente aos 62" numa penalidade pela tal falta arrancada pela mêlée portuguesa, mas foi o canto do cisne nacional, pois logo a seguir numa longa sequência de fases à mão dos georgianos, o ponta Caetano Castelo Branco cortou, com adiantado, um lance de mais que provável ensaio. O árbitro escocês Ben Blain mostrou cartão amarelo, deu ensaio de penalidade... e Portugal desmoronava-se nesse preciso momento depois de mais de uma hora de corajosa, valente e muito brava exibição perante uma seleção que continua, justamente, a bater à porta do Torneio das Seis Nações (mas ninguém ouve...).

Já sem combustível no depósito Portugal começou a abrir brechas por todo o lado e aproveitando o homem a mais no corredor direito, Tapladze e Matiashvili fariam dois derradeiros ensaios para finais e algo exagerados 39-24.

Portugal alinhou com: Manuel Cardoso Pinto (5); Danny Antunes (3,3,3,2,2), Rodrigo Marta, Tomás Appleton (cap.), Caetano Castelo Branco; João Lima, João Belo; Thibault de Freitas, David Wallis, João Granate, Luís Batista, José Madeira, Diogo Hasse Ferreira, Mike Tadjer e Geoffrey Moise. Entraram ainda Francisco Fernandes, Lionel Campergue, Ivo Morais, Eric Santos, Manuel Picão, Pedro Lucas, António Vidinha e João Freudenthal.

Nos outros encontros desta 4.ª jornada a Rússia venceu em casa a Roménia, por 32-25 e a Espanha foi vencer à Bélgica, por 30-23.

Classificação: Geórgia, 18 pontos; Portugal e Espanha, 9; Rússia, 8; Bélgica, 6 e Roménia, 5.
Na última jornada a disputar no próximo fim-de-semana, Portugal viaja até Madrid para defrontar a seleção espanhola num jogo decisivo para a atribuição do 2.º lugar.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG