Van Vleuten, a ciclista que pensou ter vencido a medalha de ouro

Nos Jogos do Rio a holandesa deixou escapar o primeiro lugar na sequência de um grave acidente a dez quilómetros da meta.

"Quando cruzei a linha de chegada pensava que tinha vencido", disse Annemiek van Vleuten, dos Países Baixos, no final da prova de ciclismo de estrada dos Jogos Olímpicos de Tóquio, um percurso de 147 quilómetros. Acontece que a vencedora já tinha chegado há mais de um minuto.

Ao aproximar-se da chegada do circuito do Monte Fuji, a holandesa ergueu os braços, gesto de triunfo. Demorou alguns segundos para compreender que a austríaca Anna Kiesenhofer, líder desde a partida, já havia comemorado o ouro um minuto e 15 segundos antes dela.

A ciclista de 38 anos admitiu estar desolada depois de um erro que atribuiu à falta de comunicações. "Houve muita confusão e falta de comunicação hoje", lamentou van Vleuten, visivelmente frustrada. "É uma das corridas mais importantes e não temos o direito de utilizar os meios habituais de comunicação", lamentou, sobre a proibição da comunicação por rádio nos eventos olímpicos: "O objetivo é tornar as corridas mais interessantes, mas isso torna-as mais confusas."

"Não sabíamos quais eram as diferenças, ouvimos dizer que tinha 45 segundos a 10 quilómetros da chegada", acrescentou, no momento em que a líder estava então mais de dois minutos à frente.

Van Vleuten aspirava juntar mais uma medalha de ouro à coleção dos Países Baixos no ciclismo feminino. Nas nove edições anteriores em que se realizou a prova de estrada, o país obteve quatro medalhas de ouro.

"Estou realmente orgulhosa da medalha, porque não tinha uma medalha olímpica. É também uma medalha de prata com brilho, porque hoje senti-me superbem", disse.

Van Vleuten viveu um drama nos Jogos do Rio, em 2016. Estava em primeiro lugar, mas sofreu uma queda durante a última descida, a 10 quilómetros do final. A holandesa ficou inconsciente por alguns segundos, após sofrer uma concussão e uma fratura de três vértebras, num acidente que levou os serviços de emergência a temer pela sua vida.

A surpreendente vencedora do ouro, Anna Kiesenhofer, de 30 anos, deixou o pelotão para trás nos primeiros quilómetros da prova num grupo de oito ciclistas. Uma a uma, as companheiras do pelotão da austríaca foram perdendo ritmo e Kiesenhofer ficou sozinha a 30 quilómetros da linha de chegada, não mais sendo alcançada.

"Eu planeava atacar desde o quilómetro zero e estou feliz por ter chegado. Estou feliz porque não tive medo, só fui atrás do objetivo", disse a vencedora, que é doutorada em matemáticas aplicadas.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG