Um, dois, três... e Roger Federer ganhou a Nadal outra vez

O suíço venceu o espanhol, pelos parciais de 6-3 e 6-4, e voltou a sorrir em Miami 11 anos depois. Aos 35 anos, o ex-número um mundial soma 19 vitórias em 20 jogos e sobe hoje ao 4.º lugar.

A lenda continua a crescer. Pela terceira vez neste ano, Roger Federer venceu Rafael Nadal e também pela terceira vez em 2017 o suíço conquistou um torneio e regressou aos títulos em Miami, 11 anos depois (tinha vencido em 2005 e 2006). Federer, que começou o ano fora do top 10, volta hoje ao quarto lugar da lista mundial, apenas atrás de Stan Wawrinka (3.º), Novak Djokovic (2.º) e Andy Murray (1.º). "Seria fantástico ser número um de novo, mas ainda falta percorrer um longo caminho", confessou o suíço, após o encontro com Nadal, que hoje sobe para quinto no ranking mundial.

De volta àquele que foi o palco do primeiro Fedal (nome dado à rivalidade entre Federer e Nadal em vigor desde 28 de março de 2004), o suíço e o espanhol escreveram o 37.º capítulo de um dos duelos mais emocionantes da história do ténis e Federer voltou a ser melhor. "Estou feliz por estarmos aqui juntos. Foi aqui que a nossa rivalidade começou quando tu eras um miúdo. Entretanto, tornaste-te um homem forte. Tivemos grandes batalhas ao longo dos anos. Nessa primeira vez [em 2005], quando te bati na final com um pouco de sorte, disse-te que ias ganhar este torneio e ainda acredito que o vás fazer", disse Federer a Nadal, ainda no court.

Com este troféu, Roger Federer passa a deter os três maiores títulos da temporada até ao momento, juntando o Master 1000 de Miami ao Open da Austrália e a Indian Wells. São já 19 os triunfos em 20 jogos disputados neste ano daquele que é considerando o melhor tenista de sempre. "Para mim, o sonho continua", assumiu o tenista helvético de 35 anos.

Em uma hora e 35 minutos de jogo, o antigo número um mundial venceu pelos parciais de 6-3 e 6-4 e regressou aos títulos. O primeiro set demorou 40 minutos e chegou a um equilibrado 3-3, até o suíço tomar as rédeas do parcial ao salvar cinco break points e quebrar a resistência de Nadal (18 winners contra 9). Foi assim que se adiantou e serviu para fechar o primeiro set com 6-3.

A história do segundo parcial foi semelhante à do primeiro. Depois de um equilíbrio inicial que chegou aos 3-3, Federer voltou a quebrar o serviço do adversário aos 5-4 e fechar depois com um 6-4. Foi a 14.ª vez que o suíço bateu o tenista espanhol de 30 anos, em 37 duelos, que procurava um inédito título em Miami (perdeu em 2005, 2008, 2011, 2014 e 2017).

"De três em três anos estou na final, mas infelizmente levo sempre para casa o troféu mais pequeno. Espero que não tenha de esperar mais três anos para voltar a estar nesta posição", disse o espanhol, mostrando estar "muito feliz" por Federer: "Esta semana foi muito boa para mim, pena ter perdido pela terceira vez esta temporada com o Roger."

Suíço vai voltar a parar

Tal como fez em 2016, Roger Federer vai voltar a parar e só deve voltar aos courts em Roland-Garros, segundo torneio do Grand Slam deste ano (29 de maio e 5 de junho). "Estou a subir no ranking e só quero manter-me saudável. Quando estou saudável e a sentir-me bem, consigo produzir ténis como este. Não tenho 24 anos, por isso agora deverei descansar durante a época de terra batida para me focar em Roland-Garros, relva e depois novamente piso rápido", anunciou o suíço em Miami.

O tenista deve assim falhar os Masters de Monte Carlo (17 de abril), Madrid (8 de maio) e Roma (15 de maio) até Roland Garros, torneio que só ganhou uma vez, em 2009, e onde o grande rival, Rafael Nadal, tem sido rei e senhor com nove triunfos. Haverá um quarto Fedal em Paris?

Mais Notícias

Outras Notícias GMG