UEFA e federações ameaçam banir clubes que fundem uma Super Liga europeia

Reação surge em comunicado conjunto, num dia em que surgiram notícias de que alguns dos principais clubes europeus já terão aceitado formar uma nova competição de clubes a rivalizar com a Liga dos Campeões

A UEFA reagiu à notícia deste domingo de que alguns dos principais clubes europeus se preparam para lançar, por fim, uma há muito badalada Super Liga europeia, e deixou uma ameaça velada em comunicado: os clubes em questão serão proibidos de jogar em qualquer outra competição a nível nacional, europeu ou mundial solb alçada da UEFA, e os seus jogadores poderão perder a oportunidade de representar as respetivas seleções nacionais.

Num comunicado, o organismo máximo do futebol europeu diz que "a UEFA, a Federação Inglesa de Futebol e a Premier League, a Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF) e a LaLiga, e a Federação Italiana de Futebol (FIGC) e a Lega Serie A ficaram a saber que alguns clubes ingleses, espanhóis e italianos podem estar a preparar-se para anunciar a criação de uma superliga fechada".

"Se isso acontecer, queremos reiterar que nós - UEFA, FA Inglesa, RFEF, FIGC, Premier League, LaLiga, Lega Serie A, mas também FIFA e todas as nossas associações membros - permaneceremos unidos em torno dos nossos esforços para impedir este projeto cínico, um projeto que se baseia no interesse de apenas alguns clubes, num momento em que a sociedade precisa mais do que nunca da solidariedade", acrescenta o comunicado.

Se essa Super Liga avançar, sublinha a UEFA, "vamos considerar todas as medidas ao nosso alcance, ea todos os níveis, judiciais e desportivos, para evitar que isso aconteça. O futebol é baseado em competições abertas e mérito desportivo; não pode ser de outra maneira."

O organismo liderado pelo esloveno Aleksander Ceferin ameaça então com sanções: "Conforme anunciado anteriormente pela FIFA e pelas seis Federações, os clubes em questão serão proibidos de jogar em qualquer outra competição a nível nacional, europeia ou mundial, e os seus jogadores poderão ver-lhes negada a oportunidade de representar as suas seleções nacionais".

A UEFA deixa ainda um agradecimentos aos clubes franceses e alemães, os quais, alegadamente, segundo a notícia avançada este domingo pelo jornal The Times, terão recusado entrar no projeto da Super Liga. "Agradecemos os clubes de outros países, especialmente os clubes franceses e alemães, que se recusaram a assinar. Apelamos a todos os amantes do futebol, adeptos e políticos a juntarem-se a nós na luta contra este projeto, caso venha a ser anunciado. Este interesse egoísta de alguns já se prolonga há muito tempo. Basta".

Real Madrid, Manchester United e Juventus entre os signatários da Super Liga

Os principais clubes ingleses, espanhóis e italianos surgiram mais uma vez fortemente ligados neste domingo à ideia de criação de uma Superliga Europeia, uma competição rival da Liga dos Campeões da UEFA que pode ter grandes impactos na paisagem atual do futebol europeu.

Segundo o jornal New York Times, um grupo dos clubes de futebol mais ricos e famosos do mundo concordou com um plano para criar uma nova competição europeia de clubes, uma Super Liga.

Após meses de conversas secretas, este conjunto de equipas - que incluem Real Madrid e Barcelona em Espanha; Manchester United, Liverpool e Chelsea em Inglaterra; e Juventus e AC Milan em Itália - poderia fazer um anúncio já neste domingo, de acordo com várias fontes familiarizadas com os planos, diz o jornal.

Pelo menos 12 equipas ter-se-ão inscrito como membros fundadores ou manifestaram interesse em ingressar neste grupo de clubes, incluindo seis da Premier League inglesa, três da La Liga espanhola e três da Serie A italiana.

A notícia surge na véspera de a UEFA divulgar os seus próprios planos para uma Liga dos Campeões alargada e reestruturada, esta segunda-feira.

A direção da liga italiana da Série A realizou já este domingo uma reunião de emergência sobre a anunciada Super Liga europeia. Uma fonte da Série A disse à Reuters que a liga "recentemente tomou conhecimento dos planos para um projeto de separação".

Logo após o término da reunião da Serie A, o jornal britânico The Times noticiou que cinco dos principais clubes da Inglaterra já assinaram os planos para integrar a nova Super Liga europeia: Manchester United, Liverpool, Arsenal, Chelsea e Tottenham Hotspurs.

O único membro dos "seis grandes" que não se inscreveu é o Manchester City, avançou o jornal.

em atualização

Mais Notícias

Outras Notícias GMG