Troféu "não salva a época do Benfica", mas pode "fazer história" no museu do Boavista

Nélson Veríssimo destacou importância da Taça da Liga e Petit não escondeu vontade de vencer. Jogo é na terça-feira à 19.45 (Sport TV).

"Não, a conquista da Taça da Liga não vai salvar a época. O principal objetivo é a I Liga. Ainda estamos envolvidos nessa luta. Temos consciência das dificuldades, mas ainda estamos envolvidos", atirou Nélson Veríssimo, treinador do Benfica, admitindo que a Taça da Liga "é um dos objetivos da época". Mas, para dar seguimento à "grandeza" do clube é preciso vencer já o Boavista na terça-feira (19.45, Sport TV), no Estádio Municipal Dr. Magalhães Pessoa, em Leiria, com arbitragem de Fábio Veríssimo.

O adversário das meias-finais é, segundo Veríssimo, "uma equipa muito competente e bem orientada" por Petit, por isso espera por "uma tarefa difícil", mesmo tendo confiança no "processo de treino" e na "reposta muito positiva" dos jogadores. Incluindo o jovem Henrique Araújo, avançado da equipa B que foi convocado para colmatar as ausências de Seferovic (lesionado) e Darwin Núñez (na seleção do Uruguai).

"Reconhecendo que há qualidade e havendo uma necessidade, neste caso específico na posição de avançados, sentimos a necessidade de chamar mais um. Nesta lógica, olhando para os jogadores da equipa B, sentimos que o Henrique Araújo estaria preparado para dar essa resposta", explicou ontem o técnico dos encarnados, que também não vai poder contar com Otamendi, que se encontra ao serviço da seleção da Argentina, mas desvalorizou as baixas: "A ausência de alguns jogadores é uma oportunidade para outros."

O clube da Luz é o recordista de troféus da competição (sete), mas não a vence desde a época 2015-16, última vez em que alcançou a final e venceu o Marítimo, por 6-2. E Petit, treinador do Boavista, quer prolongar o jejum da águia: "É um troféu que nos faz falta, ainda não o temos. Queremos fazer história com estes jogadores e vamos trabalhar para que isso aconteça. Temos algumas ausências, mas vamos apresentar um onze forte, que dignifique a história do Boavista."

Considerando que a equipa está "num bom momento" - quatro empates consecutivos e duas vitórias em seis partidas -, o técnico do Boavista desvalorizou as baixas: "Eu não posso jogar [risos]. Estas são as opções que temos e o futebol não tem idade. Temos quatro juniores com 18 anos, três miúdos da formação e 10 ou 11 jogadores abaixo dos 23 anos" nos eleitos.

Sem saber muito bem que Benfica esperar, uma vez que "tem alternado entre o 4-4-2 e o 4-3-3 e também tem algumas baixas", Petit defendeu que o Boavista "não tem de fugir" à sua ideia de jogo só porque vai jogar com o Benfica. A meta é mesmo levar "o troféu para casa", numa competição em que o melhor que a equipa foi chegar a esta final four: "Esse é o nosso objetivo, pensamento e ambição."

Mais Notícias

Outras Notícias GMG