Taça de Portugal. Prémios aumentaram. Vencedor recebe mais de meio milhão de euros

Quem levar o troféu do Jamor recebe 300 mil euros, mais 150 mil pela transmissão televisiva e cerca de 100 mil de bilheteira. Benfica já ganhou 291.500, V. Guimarães 266.500

O prémio do vencedor da Taça de Portugal é de 300 mil euros, a que se junta 150 mil pela transmissão televisiva e um pouco mais de 100 mil da percentagem de receita de bilheteira, para um total mínimo de 550 mil euros. O finalista vencido ganha menos 150 mil do que o clube que levar o troféu para casa, segundo dados da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), que este ano aumentou o bolo a distribuir pelos 155 clubes que participaram na prova, num total de 4,5 milhões.

Os finalistas foram amealhando até ao jogo decisivo e o Benfica já garantiu 291.500 euros, enquanto o Vit. Guimarães somou 266.500.

No domingo, seja a equipa de Rui Vitória, seja a turma de Pedro Martins, quem subir à tribuna de Honra do Estádio Nacional, no Jamor, para levantar a Taça, recebe 300 mil euros, mais 150 mil pela transmissão televisiva e um pouco mais de 100 mil da percentagem de receita de bilheteira, que é a dividir pelos dois clubes e pela Federação. O finalista vencido recebe 150 mil euros de prémio, mais 150 mil da transmissão televisiva e os cerca de 100 mil de bilheteira. No entanto, tanto as águias como os vimaranenses foram acumulando verbas de participação e direitos televisivos desde que entraram em ação, na terceira eliminatória. Nesta fase, os vimaranenses eliminaram o St. Iria, mas não tiveram direito aos 25 mil euros da transmissão televisiva, ao contrário do Benfica, que eliminou o 1.ª Dezembro e teve honras televisivas, a que juntou os quatro mil euros de participação.

Depois disso, a equipa de Rui Vitória e a de Pedro Martins foram galgando eliminatórias até à final de domingo e sempre com direito a transmissão do jogo na televisão, tendo assim direito a 50% da verba destinada. Eis os ganhos acumulados até agora: cinco mil euros de participação, mais 37, 5 mil de direitos televisivos (4.ª eliminatória); 7500 euros, mais 50 mil (5.ª); dez mil, mais 62 500 (quartos-de-final) e 15 mil, mais 75 mil (meias-finais).

Ou seja, as águias amealharam até agora 291.500 euros, enquanto o Vit. Guimarães, 266.500. E na pior das hipóteses juntam a esse valor mais 400 mil euros na final, sendo que o vencedor arrecadará mais 150 mil (550 mil). O que significa que podem receber entre 660 e 850 mil euros, conforme o nome do vencedor, pela atual campanha da Taça de Portugal.

Embora os prémios dos finalistas se mantenham iguais aos das últimas edições (300 mil/150 mil), este ano a Federação aumentou o bolo a dividir pelos 155 clubes participantes, num total histórico de 4,5 milhões. Um aumento de 30% em relação às verbas da época passada, quando o organismo distribuiu 3,5 milhões de euros.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG