Sporting pede reabertura do caso dos vouchers

Nuno Saraiva, diretor de comunicação dos leões, pede que a Federação, "em nome da transparência", volte a investigar o assunto depois dos novos dados revelados pela revista Sábado.

O Sporting quer que a Federação reabra o caso dos vouchers, "em nome da transparência", depois dos novos dados revelados pela revista sábado. Segundo a publicação, o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, teve conhecimento da defesa dos árbitros, no caso das ofertas (vouchers), quando depôs na Comissão de Instrução e Inquéritos da Liga (CIIL) e por isso pode preparar melhor a sua defesa.

Nuno Saraiva, diretor de comunicação do Sporting, mostrou "perplexidade" com a notícia, num poste no Facebook, onde afirmou que a Federação devia reabrir o processo, que arquivou, "em nome da transparência", por que "é isso que se espera de órgãos disciplinares independentes e isentos".

"Não querendo acreditar que a Federação Portuguesa de Futebol e o seu Conselho de Disciplina estejam hoje confortáveis com o arquivamento que então decidiram, e seguro de que querem honrar a justiça desportiva e o apuramento da verdade e nada mais do que a verdade, têm pois o dever e a obrigação de, perante os factos novos agora conhecidos, reabrirem este processo", escreveu Nuno Saraiva na sua página do Facebook.

Para o diretor de comunicação do Sporting, Luís Filipe Vieira teve conhecimento da posição dos árbitros durante a fase de inquérito. Por isso, segundo Nuno Saraiva, a Federação deve reabrir o processo, que foi arquivado por quatro instâncias e órgãos desportivos distintos: Comissão de Instrutores e Inquéritos da Liga (CIIL), Secção Profissional do Conselho Disciplina, Pleno do mesmo Conselho de Disciplina e Tribunal Arbitral do Desporto.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG