Sporting lança acusações aos representantes de Bruma

Leões lamentam impasse criado e dizem que o empresário Catió Baldé quis ficar com 10% de uma futura transferência, direito esse que o Sporting queria dar a Bruma.

Num comunicado, o Sporting lamenta todo o imbróglio em torno da situação contratual de Bruma e acusa o empresário do jogador, Catió Baldé, de ter rejeitado uma proposta dos leões para a renovação porque queria ficar ele com os 10% dos direitos económicos de uma futura transferência, quando a intenção do Sporting era dar ao jogador.

Leia aqui o comunicado do Sporting na íntegra.

A Sporting SAD recebeu hoje uma notificação judicial avulsa em que o jogador Bruma alega que "se encontra livre de qualquer compromisso para com a requerida a partir de 30 de Junho de 2013". Estamos a falar de uma notificação, encontrando-nos hoje a dia 11 de Julho de 2013, relativa ao passado dia 30 de Junho, o que revela bem a conduta de quem aconselha o jogador.

Reafirmamos que o contrato de trabalho em vigor com o jogador se encontra devidamente registado nas instâncias competentes e estabelece que o mesmo cessará a 30 de Junho de 2014. Acrescente-se ainda que o montante indemnizatório definido para a cessação antecipada do contrato ascende ao montante de 30 milhões de euros.

Este processo, pese os esforços desenvolvidos pelo Sporting e pelo desejo expresso do jogador para renovar a ligação ao Clube, tem sido afectado pelas intervenções sucessivas de diferentes representantes do mesmo. Com diversos intervenientes e diferentes versões por parte do jogador e seus representantes, o Sporting solicitou uma reunião com todas as partes interessadas para um esclarecimento cabal da posição de cada um.

Saliente-se que ainda hoje, o Presidente da Sporting SAD aguardou pela presença do jogador e seus representantes que uma vez mais não compareceram à reunião agendada.

Para entendimento de toda esta situação refira-se que por diversas vezes neste processo foi alcançado um entendimento com os representantes do atleta, ficando o acordo final dependente de conversa com o jogador. Sempre que se estabelecia um acordo e era marcada reunião para formalizar o mesmo, apareciam sempre novas exigências por parte dos seus representantes.

Para que se perceba de que tipo de exigências se tratam, uma delas foi a proposta de renovação que o Sporting apresentou, em que contemplava que o jogador ficasse com 10% dos seus direitos económicos numa transacção futura. No entanto, o seu representante, Cátio Baldé, rejeitou liminarmente esta proposta porque exigia que essa percentagem, em vez de ser dada ao jogador, fosse para si.

O Sporting reforça que desde o início deste processo actuou sempre com total lisura e boa-fé na defesa dos superiores interesses do Clube e no respeito e salvaguarda dos interesses do jogador.

Além do comunicado colocado no site, o Sporting enviou um outro à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários. Leia aqui na íntegra.

Nos termos e para efeitos do cumprimento da obrigação de informação que decorre do disposto no artigo 248º, nº1 al. a) do Código dos Valores Mobiliários, a SPORTING CLUBE DE PORTUGAL Futebol, SAD informa ter recebido na presente data a notificação judicial avulsa requerida pelo Jogador Armindo Tué na Bangna, "Bruma", alegando que: "se encontra livre de qualquer compromisso para com a Requerida a partir de 30 de Junho de 2013."

Mais se informa que o contrato de trabalho desportivo, em vigor, relativo ao referido Jogador e celebrado para a época desportiva de 2013/14, caducará a dia 30 de Junho de 2014. Este encontra-se devidamente registado junto das instâncias competentes, estando estabelecido o montante indemnizatório de euro 30.000.000,00 (trinta milhões de euros) para a cessação antecipada do referido contrato.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG