Sporting é o que aproveita melhor o tempo extra

Leões já conquistaram cinco pontos em compensações, mais do que qualquer equipa no campeonato. Benfica é o que tem melhor saldo de golos. Líder FC Porto resolve assuntos cedo

O Sporting é o clube da I Liga que nesta temporada mais tem mostrado o velho hábito português de deixar tudo para a última hora. A equipa de Jorge Jesus é, entre as 18, a que ganhou mais pontos em tempo de compensação: cinco.

"Jogamos sempre até que o árbitro apite. Já noutros jogos mostrámos que lutamos até ao fim", afirmou o herói da vitória de anteontem em Tondela, Sebastián Coates, na zona de entrevistas rápidas após o jogo, em alusão aos encontros diante de Feirense e Sp. Braga. Antes do golo do central uruguaio aos 90+8" diante do Tondela, que motivou muitos protestos dos beirões, já Bas Dost tinha marcado no mesmo minuto em Santa Maria da Feira e Bruno Fernandes aos 90+5" em casa diante dos bracarenses, ambos de grande penalidade.

Contudo, os leões também já viram uma vitória escapar no último suspiro, em Setúbal, e, curiosamente, através de um penálti, convertido por Edinho (90+5").

Os leões também lideram no número de golos marcados em tempo de compensação, cinco, os mesmos do Benfica. Porém, os verdes e brancos sofreram dois golos em tempo extra, enquanto os encarnados têm sido invioláveis. Além dos três remates certeiros referidos, Acuña fechou as contas da goleada por 5-0 sobre o Marítimo (17.ª jornada) e Montero sentenciou um triunfo por 2-0 diante do Feirense (22.ª).

Pelas águias, que já ganharam três pontos e têm o melhor saldo de golos para lá dos 90", registam-se os tiros decisivos de Seferovic em Chaves e de Jonas no Restelo, o do brasileiro na goleada caseira por 5-0 ao Belenenses (3.ª jornada) e os tranquilizadores de Jiménez em Braga (18.ª) e de Zivkovic em Portimão (22.ª), em duas vitórias por 3-1.

Quem também gosta de fazer horas extra são V. Setúbal, Desp. Chaves e Marítimo, que já conquistaram quatro pontos em tempo extra. Em sentido contrário, Belenenses e Feirense gostariam certamente de se ficar pelos 90", uma vez que já perderam três pontos e sofreram cinco golos no período fatídico, com a atenuante para a equipa de Nuno Manta Santos de já ter conquistado dois pontos e de ter marcado um golo na compensação, período no qual os azuis do Restelo ainda estão a zeros.

Por outro lado, quem resolve os assuntos cedo é o líder FC Porto, que apenas marcou um golo em tempo de compensação e que para nada contou, autoria de Sérgio Oliveira em Chaves (22.ª jornada), a sentenciar uma vitória folgada por 4-0. O conjunto orientado por Sérgio Conceição tem a particularidade de ainda estar inviolável durante a compensação.

De acordo com as Normas e Instruções para Árbitros da Federação Portuguesa de Futebol, os juízes estão recomendados no tempo extra, para efeitos de uniformização de critérios, a compensar cada substituição com 30 segundos, cada transporte de jogador lesionado com um minuto e ter ainda em conta o tempo perdido em outros casos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG