"Pai de William estava exaltado no último dia do mercado"

Presidente leonino revelou em entrevista à Sporting TV que os dois jogadores mais pretendidos do Sporting foram Gelson e Bas Dost. E lembra: "William não se esquece que deve a sua carreira a mim"

Bruno de Carvalho, após uma longa dissertação sobre os castigos de que tem sido alvo, falou do mercado e em específico da situação de William Carvalho, que não saiu de Alvalade.

E começou logo com uma revelação: "Os dois jogadores mais cobiçados foram o Bas Dost e o Gelson Martins. Onde é que está a proposta do West Ham? Abordagens? Com certeza, por quase todo o plantel. Os homens têm tido uns resultados fantásticos, jogam em 4x4x3, porque têm levado quatro e três a zero em todos os jogos. O homem queria tanto dar o William ao treinador como eu queria dar uma prenda a um amigo meu. Não queria coisa nenhuma. O pai do William, todo exaltado no dia do mercado, chegou à SAD do Sporting a dizer que iam chegar duas propostas. A certa altura, ligámos para o advogado e perguntámos se ia chegar alguma proposta, ao que ele respondeu que na opinião dele não ia chegar proposta alguma. Tenho a certeza absoluta que o William, quando chega uma altura de mercado, não se esquece que deve a sua carreira a mim. Quem disse que queria todos os jogadores emprestados pelo Sporting, depois daquela fatídica época (2012/13), fui eu. Ele estava no Cercle Brugge. Comecei a ver a pré-época, o jogador mais querido do Sporting era o Rinaudo, e eu disse ao Leonardo Jardim para não o colocar a jogar até eu dizer e assim o fez. Nenhum selecionador ainda não tinha visto o William com olhos de ver. É importante as pessoas serem agradecidas. O William está focado no Sporting. Se o Jesus é o psicólogo de William, Rui Vitória é o psiquiatra daquele plantel quase todo."

E a finalizar este assunto esclareceu que, ao contrário do que tem sido ventilado, não tem de pagar cinco milhões de euros a William mesmo que chegue uma proposta formal de 35 milhões de euros: "Não tenho de pagar a William nenhum, mesmo que tivesse havido proposta e eu tivesse recusado. Isso é estúpido. Não corto as pernas a absolutamente ninguém."

Mais Notícias

Outras Notícias GMG