Montero resolveu e deixou leões perto dos quartos-de-final

Avançado colombiano foi decisivo num jogo em que Coates e William viram amarelo e falham a partida da segunda mão com o Plzen.

O Sporting está com um pé nos quartos-de-final da Liga Europa, após um triunfo confortável ontem em Alvalade sobre os checos do Viktoria Plzen. E nem foi preciso acelerar muito frente a uns checos que estão ainda em ritmo de pré--temporada.

Jesus tinha alertado que o Viktoria Plzen poderia surpreender e que, ao contrário do que a maioria das pessoas pensaram após o sorteio, seria um dos adversários que mais complicações poderia causar aos leões nesta eliminatória. Ontem, contudo, os checos não provaram nada disso e nem foi preciso um grande Sporting para construir um triunfo que deixa as portas dos quartos escancaradas.

Os primeiros 45 minutos até foram bastante sofríveis. Pouca velocidade por parte dos leões, que, mesmo sem Bas Dost, arriscavam em demasia os cruzamentos para a área, onde Fredy Montero, ontem o substituto do matador holandês, não se conseguia impor aos centrais checos. A fantasia de Gelson Martins e Bruno Fernandes tardava em aparecer e os checos mostravam-se muito seguros do meio-campo para trás, preferindo não arriscar muito no ataque, com receio do contragolpe.

O futebol do Sporting estava longe de entusiasmar, mas era a única equipa que procurava chegar ao golo. Acuña deu um dos poucos avisos no primeiro tempo com um remate em arco à trave aos 22", já quando todos esperavam o apito para o intervalo, Fábio Coentrão, num lance acrobático aos 45"+1 encontrou Montero na pequena área que, com classe, parou a bola no peito e com um toque subtil inaugurou o marcador. Um golo que poucos esperavam mas que acabaria por ser determinante.

Determinante porque retirou toda a pressão dos ombros dos leões e deu mais confiança para o segundo tempo. O Sporting entrou a todo o gás na etapa complementar e aos 49" fez novo golo. Bruno Fernandes fez a assistência, mas o finalizador foi o mesmo, Montero, com um remate de pé esquerdo já dentro da grande área.

Estava melhor o Sporting, o Plzen não conseguia sair do seu meio-campo e por isso as oportunidades de golo dos leões iam-se sucedendo. A equipa de Jesus aproveitava o baixo ritmo competitivo dos checos para colocar o guarda-redes Hruska em sentido. Aliás, acabou mesmo por ser o guardião a evitar males maiores para a sua equipa, travando os remates de Bryan Ruiz (65") e Bruno Fernandes (68"). O médio português acabou por ser o grande protagonista deste segundo tempo, em que abriu o livro fazendo a cabeça em água aos seus mais diretos marcadores.

O domínio do Sporting era tal que só aos 73 minutos Patrício se mostrou, quando se atirou para o chão para travar um remate de Kolar. Este lance acordou um pouco a equipa checa, que teve então cinco minutos de maior intensidade mas que acabou por não ser o suficiente para realizar sequer um remate certeiro à baliza do internacional português. Muito pouco para um clube que Jorge Jesus perspetivava poder vir a ser complicado nesta fase da Liga Europa.

Acabaram por ser novamente os leões a estar muito perto do terceiro golo, que poderia dar ainda mais confiança para o jogo da segunda mão, na próxima semana, quando Rúben Ribeiro, já nos descontos, isolou Mathieu na cara de Hrusca. Mas mais uma vez o guardião acabou por evitar mais um golo do Sporting.

O 2-0 dá muita confiança para o embate da segunda mão, ainda que o Sporting não possa contar com Coates e William, que, com dois amarelos infantis, deixaram Jorge Jesus de mãos na cabeça.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG