Jesus: "Em Felgueiras entrou um adepto no treino e apontou-me uma arma à cabeça"

Treinador leonino contou episódios da carreira em entrevista no programa televisivo Alta Definição, da SIC. Diz que crianças lhe perguntavam porque mudou do Benfica para o Sporting e "começavam a chorar"

Jorge Jesus revelou este sábado, no programa televisivo Alta Definição, da SIC, um episódio que lhe marcou os tempos em que treinava o Felgueiras, há mais de duas décadas. "Entrou um adepto no treino e apontou-me uma arma à cabeça e disse: 'ó mouro, tens de sair daqui'", contou.

Sobre as reações à mudança do Benfica para o Sporting, confessou que foi questionado na rua por crianças. "Tive várias crianças, com os pais, a pedirem-me um autógrafo e a perguntaram-me porque é que tinha mudado. Depois ainda começavam a chorar. Comecei a perceber o sentimento futebolístico. Mas nunca ninguém me ofendeu. Pedem para tirar fotografias e agradecem. Não sou traidor porque mudei de um clube para o outro", narrou.

Outro assunto da conversa com Daniel Oliveira são as gafes que o treinador comete. "Não deixo de ser um grande treinador. Esta é a minha formação, o futebol. Dou uma calinada, mas o importante é não dar calinadas nas minhas ideias. As ideias têm de ser passadas com muita clareza. Não sou professor de português, sou treinador de futebol", frisou. "O espanhol que aprendi foi a comunicar com os meus jogadores. Vou vivendo com eles e fui aprendendo várias palavras. Dou alguns pontapés na gramática, sim. Fala-se muito do 88 [risos]. No outro dia pedi a um jogador argentino para pronunciar 88 em castelhano e percebi que não disse muito bem", acrescentou.

JJ disse ainda que quer ser recordado "como um treinador com ideias". "Lancei muitas coisas no futebol. Os melhores para reconhecerem o valor de um treinador são os jogadores que trabalham com ele", acrescentou. "Sei que a minha forma de trabalhar é complicada, sou complicado de aturar. Sou muito exigente. Quando não ganhamos não consigo dormir. Já liguei algumas vezes aos meus adjuntos às 3 horas da manhã. E não podem ter o telefone desligado", rematou.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG