Europa ou Liga: Jesus entre duas prioridades e poucas opções

Hoje há jogo com o Viktoria Plzen. Escolhas "não vão ser em função do objetivo mas dos jogadores que tenho", diz o treinador

Campeonato ou Liga Europa? Para o treinador do Sporting, Jorge Jesus, não é possível escolher - "as duas hipóteses são prioridades" -, porque não tem margem para poupar atletas para uma ou outra prova: as lesões não o permitem. "As minhas opções não vão ser ser em função do objetivo mas dos jogadores que tenho", explicou ontem o técnico, ao perspetivar o jogo de hoje com o Viktoria Plzen (20.05, SIC).

O Sporting recebe o líder da liga checa, para a 1.ª mão dos oitavos-de-final da Liga Europa, na ressaca da derrota com o FC Porto (2-1), que o deixou a oito pontos do 1.º lugar e a três pontos da 2.ª posição do campeonato. Com a vitória na final da prova da UEFA a valer o apuramento direto para a Liga dos Campeões - algo que, esta época, só a conquista da I Liga oferece (com o 2.º posto a dar uma vaga nas pré-eliminatórias) -, levanta-se a questão: passará a Europa a ser a prioridade do emblema leonino? Jorge Jesus respondeu nim, ontem, na conferência de imprensa de antevisão do jogo com o Viktoria Plzen. " Vamos colocar as duas hipóteses como prioridades. Amanhã [hoje], vamos com os jogadores [que estão] em melhores condições para o jogo. Em Chaves [segunda-feira, dia 12, para a 26.ª jornada da I Liga], a mesmo a coisa... e logo a seguir saltamos para a República Checa [2.ª mão na quinta-feira, 15]", apontou o técnico.

As lesões (e os eventuais castigos) limitam as escolhas do treinador do Sporting. Hoje, são certas as ausências de Piccini, André Pinto, Doumbia e Podence, enquanto Bas Dost e Rafael Leão estão em dúvida (Jorge Jesus mostrou "alguma esperança" quanto à sua recuperação). A este sexteto junta-se meia dúzia de jogadores que pode falhar a 2.ª mão dos oitavos-de-final da Liga Europa, caso hoje receba um cartão amarelo: Coates, Fábio Coentrão, William Carvalho, Bruno Fernandes, Acuña e Gelson. "São seis jogadores que podem cair, por amarelo, mais os lesionados. Ainda convoco algum de vocês [jornalistas] para jogar", disse, entre risos, o treinador.

Ainda assim, o assunto é delicado. Após o episódio de Gelson (excluído do jogo com o FC Porto, após ser amarelado por tirar a camisola para dedicar um golo a Rúben Semedo), Bryan Ruiz lembrou que "é importante não ver amarelos parvos, que não ajudem a equipa, por falar com o árbitro ou atirar a bola para longe". "Já aconteceram situações que não podem voltar a acontecer", frisou o costa-riquenho.

E Jorge Jesus também sublinhou a margem de manobra que as ausências lhe tiram. "Precisava de ter todos os jogadores disponíveis [para poder optar entre uma equipa mais musculada ou fantasista]. Tenho de ir pelo que tenho, não fugindo das ideias da equipa", notou.

De resto, o técnico do Sporting avisou que a eliminatória não ficará resolvida na 1.ª mão, mostrando respeito pelo Viktoria Plzen. "É um adversário mais forte do que o Astana: uma equipa bem organizada em termos defensivos, com um treinador muito experiente. A eliminatória vai ser disputada a dois jogos". E, a propósito de Rafael Leão, acabou a falar do "enorme prazer" de lançar jovens futebolistas. "Também tem de haver talento: não faço de pedras jogadores", concluiu.

com Lusa

Mais Notícias

Outras Notícias GMG