Crise no Sporting: Holdimo quer Assembleia Geral da SAD urgente

Maior acionista privado da Sociedade Anónima Desportiva toma posição e quer esclarecimento

A Holdimo, empresa do empresário Álvaro Sobrinho que é detentora de 28,85 por cento das ações do Sporting, anunciou esta segunda-feira ter solicitado a convocação de uma Assembleia Geral da Sporting SAD.

Em comunicado, a empresa considera necessário "debater e resolver os problemas internos" do clube em sede de uma Assembleia Geral e fundamenta a sua decisão, entre outras razões, com as consequências financeiras e com o "com potencial prejuízo" da atual clivagem no clube "para os ativos da sociedade".

"As ações da Sporting SAD estão suspensas da negociação bolsista, pela segunda sessão consecutiva, em consequência de quebras de cotação superiores a 30 por cento", começa por apontar.

Depois, a Holdimo considera que "o debate público sobre questões internas tem contribuído para uma exposição" que é "absolutamente dispensável e atentatória da melhor tradição da marca Sporting, com potencial prejuízo para os ativos da sociedade".

"As relações humanas têm momentos de tensão que temos de saber gerir com a maior ponderação, discrição e bom senso. Os direitos económicos e desportivos fazem parte do ativo da Sporting SAD, é urgente encontrar soluções que nos recoloquem no caminho da valorização destes ativos", pode ler-se.

No comunicado, a empresa faz notar ainda que "se tem abstido de participar no debate público de assuntos internos, mesmo não estando de acordo com a suspensão de jogadores da Sporting SAD".

A Holdimo tem manifestado publicamente confiança no projeto para o clube 'leonino', liderado por Bruno de Carvalho.

Bruno de Carvalho criticou na quinta-feira as exibições de alguns jogadores do Sporting, a seguir à derrota em casa do Atlético de Madrid (2-0), na Liga Europa, tendo, na sexta-feira, 19 jogadores do plantel, entre os quais Rui Patrício, William Carvalho, Fábio Coentrão, Coates, Gelson Martins e Bruno Fernandes, divulgado um comunicado no qual manifestaram "desagrado" com as críticas.

Em resposta, Bruno de Carvalho partilhou um texto no Facebook, visível para os seus amigos na rede social, em que dava conta da suspensão dos jogadores que subscreveram o comunicado e fazia saber que teriam de enfrentar a disciplina do clube.

No sábado, o treinador da equipa, Jorge Jesus, afirmou que os futebolistas não receberam qualquer nota de suspensão por parte do clube e garantiu que Bruno de Carvalho lhe deu "liberdade para convocar os jogadores" que entendesse para o jogo de domingo com o Paços de Ferreira, da 29.ª jornada da I Liga de futebol, o que aconteceu, com os 'leões' a vencerem por 2-0.

Hoje, o presidente da AG, Marta Soares, disse à TSF que Bruno de Carvalho não tem mais condições para continuar como presidente do Sporting, depois do conflito aberto com os jogadores alimentado desde a derrota leonina em Madrid, quinta-feira passada, em jogo da Liga Europa. O líder da Mesa da AG afirmou ainda esperar que o presidente se demita, caso contrário a própria AG tomará a iniciativa de tomar o controlo da situação para fazer regressar a paz ao Sporting. "Com Bruno de Carvalho não há paz no clube", justificou.

Entretanto, Bruno de Carvalho respondeu ao presidente da Mesa da AG anunciando no Facebook, antes de encerrar a sua conta, que será ele próprio a pedir a realização de uma Assembleia Geral para os sócios se pronunciarem sobre a Direção, mas também sobre os Presidentes da Mesa da AG e do Conselho Fiscal. "Se os sócios não tiverem memória curta sairá pela porta pequena como em Poiares", escreveu Bruno de Carvalho sobre Marta Soares, ex-autarca naquele município da zona centro.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG