Bento fala de triunfo escasso e Quique mantém esperança

Nenhum dos treinadores pôs em causa justiça do resultado, só lamentam erros respectivos.

Paulo Bento fala num triunfo "justo". Mas: "Ficámos a dever à eficácia um resultado mais dilatado e assim, com os mesmos pontos, ficarmos à frente do Benfica". E Quique Flores não contesta a justiça do triunfo leonino, apenas nota que a equipa não conseguiu corrigir o posicionamento errado que detectou ao intervalo - mas mantém a esperança por "faltar ainda muito campeonato".


"Na segunda parte tivemos uma supremacia muito grande e uma qualidade de jogo muito boa", enquadrou o treinador do Sporting. "Nessa parte, podíamos ter acabado com o jogo", insistiu, lembrando que o resultado "peca por escasso".


Bento falou ainda, de forma irónica e lacónica, sobre o seu futuro e sobre Miguel Veloso. "Amanhã estarei na Academia...", disse. E o rumor de Veloso se ter recusado a entrar nas opções, causa desconforto?: "Desconforto pode ter ele em função da lesão",  concluiu o treinador, lembrando "o contexto mais favorável" do Benfica para este jogo, ao contrário da partida da primeira volta. "Na altura disse o contrário e alguns não gostaram, hoje se calhar já gostaram, mas as coisas não são lineares. Nem a farinha é sempre branca", rematou.


Já Quique disse que a equipa não corrigiu, como tentou ao intervalo, o posicionamento. "Precisávamos do sistema que já mostrámos bem noutros jogos", analisou. "Com os erros deixámos o jogo onde queria o Sporting", avançou o treinador do Benfica.


E fica o FC Porto numa posição de claro favorito, com mais quatro pontos? "Não, ainda falta muito campeonato. Faltam 33 pontos ainda e o FC Porto ainda tem de atravessar agora o calendário por que estamos a passar".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG