Acuña, o segundo mais caro, é atração frente ao Mónaco

Na história dos leões apenas Bas Dost o supera. E entre todos os argentinos contratados no seu país de origem é só ultrapassado por Lucho. Hoje mostra-se aos adeptos em Alvalade

Marcos Acuña, 25 anos, é, desde ontem, reforço do Sporting, tendo custado 9,6 milhões de euros e assinado por quatro épocas com uma cláusula de rescisão de 60 milhões. Mas este esquerdino, que vem para ajudar a fazer esquecer Bryan Ruiz, não é apenas a nona contratação do Sporting para a temporada 2017-2018 ou a mais dispendiosa do atual defeso na Liga portuguesa. É muito mais do que isso.

Para começar é o segundo argentino mais caro de sempre contratado por um clube português. O primeiro continua a ser Lucho González, que o FC Porto adquiriu em 2005 ao River Plate por 10,25 milhões de euros. Este futebolista deu um retorno financeiro acumulado de 22 milhões - 19 quando saiu para o Marselha em 2009 e mais três ao ser contratado pelo Al Rayyan em janeiro de 2014, já depois de ter regressado ao Dragão a custo zero em 2012.

No top 10 dos argentinos contratados por clubes portugueses na Argentina - este sublinhado tem muito a ver com os 11 milhões pagos pelo Benfica ao At. Madrid por Salvio -, Acuña surge à frente de futebolistas como Di María, Otamendi ou Nico Gaitán.

Também no Sporting, Acuña está já num patamar de excelência e de expectativas pelos milhões gastos. Até ver é o segundo mais caro de sempre atrás de Bas Dost, mas até pode ser o primeiro. E isto explica--se facilmente; o comunicado que o Sporting emitiu ontem a oficializar a contratação do internacional argentino que já se encontrava a treinar com a equipa há uma semana (que contempla ainda direito de preferência sobre três jogadores do Racing e a realização de um particular em data a definir) refere que paga 9,6 milhões de euros, ficando ainda responsável pelo mecanismo de solidariedade. Pois bem, esta norma da FIFA implica que os clubes formadores recebem um total de 5% no seu todo do valor total das transferências. Se somarmos os 9,6 milhões aos tais 480 mil euros relativos aos 5% do mecanismo de solidariedade chegamos a um total de 10,08 milhões de euros, valor superior aos dez milhões pagos por Bas Dost. Contudo, não se sabe se o Sporting também custeou o mecanismo de solidariedade do melhor marcador da última edição do campeonato português, por isso... para já Marcos Acuña continua a ser o vice-líder desta tabela.

Se nos concentramos um pouco na tabela das dez contratações mais caras da história do clube de Alvalade, chegamos à conclusão de que metade foram efetuadas na era Bruno de Carvalho. Para além de Bas Dost e Acuña, temos Bruno Fernandes, o português em que o Sporting empregou mais dinheiro, o também argentino Alan Ruiz e Sebastián Coates, cuja contratação definitiva foi assegurada na segunda metade da época passada.

O que esperar?

O que se pode esperar de Marcos Acuña, uma vez internacional pela principal seleção argentina? Na última época foi considerado, pelas exibições realizadas ao serviço do Racing Avellaneda, o melhor futebolista do campeonato do seu país, com nove golos e 13 assistências. É um driblador que se sente mais confortável na posição de extremo esquerdo - aquela que o dispensado Bryan Ruiz desempenhou nas duas últimas épocas - mas também costuma jogar como médio ofensivo pelo corredor central.

Independentemente disso, Marcos Acuña hoje será a grande atração do jogo de apresentação dos verdes e brancos diante do campeão francês Mónaco (19.30, SportTV1), treinado por Leonardo Jardim, o primeiro técnico contratado por Bruno de Carvalho e com quem o Sporting regressou à Liga dos Campeões através do segundo lugar na época 2013-2014, num ano em que os leões ficaram apenas atrás do Benfica de... Jorge Jesus.

Em relação à festa de apresentação, muita é a curiosidade também para perceber se os internacionais Rui Patrício, Adrien, William e Gelson estarão todos entre os nomes que farão parte do plantel leonino.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG