Sporting lidera a I Liga mas plantel do Benfica vale quase o dobro

O plantel do Benfica está avaliado em 305 milhões de euros, quase o dobro do do Sporting (166,6), que por sinal lidera o campeonato com mais seis pontos do que as águias. Os laterais esquerdos Grimaldo e Nuno Mendes são os mais valiosos de cada equipa. Jogo entre os dois rivais de Lisboa está marcado para amanhã, às 21h30, em Alvalade.

O antigo craque holandês Johan Cruyff disse um dia que nunca viu "um saco de dinheiro marcar golos". E essa frase parece adequar-se na perfeição ao que se vai vendo neste campeonato. O Sporting de Rúben Amorim, com um plantel avaliado em 166,6 milhões de euros de acordo com o portal Transfermarkt, é líder isolado do campeonato com seis pontos de vantagem sobre o rival Benfica, cuja equipa tem um valor de mercado quase duplamente superior: 305 milhões. Pelo meio, tanto na classificação como na avaliação do plantel, está o FC Porto (262 milhões).

Convém salientar que este cenário se verifica não no início da época, mas já no final de janeiro, quando algumas das joias da coroa sportinguista já tiveram tempo para reforçar a sua cotação, e à entrada para a 16.ª jornada, que vai ficar precisamente marcada pelo dérbi lisboeta que vai ter lugar esta segunda-feira (21.30, SportTV1) no Estádio José Alvalade, e que será apitado pelo árbitro Artur Soares Dias.

Para se ter uma noção melhor das diferenças, o jogador mais valioso do plantel leonino é Nuno Mendes, avaliado em 17 milhões de euros, o mesmo valor que o portal especializado em matéria de mercado atribui, por exemplo, a Pedrinho, habitual suplente do Benfica.

Acima dessa cifra os encarnados têm cinco jogadores: Grimaldo (28 milhões), Darwin Núñez (25 M), Everton (25 M), Rafa (23 M), Pizzi (18 M) e Vlachodimos (18 M). Além de Pedrinho, também Waldschmidt e Weigl estão avaliados em 17 milhões. O fosso global entre águias e leões, de 138,4 milhões de euros, é maior do que a diferença entre o valor de mercado do plantel leonino e os de Sp. Braga, Vitória de Guimarães, e até dos aflitos Famalicão e Boavista.

Porro é caso único

A supremacia do Benfica em termos de valor dos jogadores também se faz valer em quase todas as posições. Na baliza, o habitual titular Vlachodimos (18 milhões) tem uma avaliação mais de seis vezes superior ao sportinguista Adán (2,5 M), ainda que entre estes dois haja Luís Maximiano (6 M).

As águias têm também o central mais valioso: Todibo (14 M), emprestado pelo Barcelona. O melhor do Sporting, Coates, está avaliado em 10 milhões de euros, o mesmo valor com que o benfiquista Vertonghen está cotado.

No lado direito da defesa encontramos algo inédito: um leão, Pedro Porro (11 M), a conseguir superiorizar-se face às águias André Almeida (6 M) e Gilberto (3 M). Curiosamente, o herói verde e branco na Taça da Liga está vinculado a outro clube, o Manchester City, que por sua vez o emprestou aos leões.

À esquerda, porém, a recente valorização conseguida por Nuno Mendes (17 M) ainda não foi suficiente para chegar perto da cotação de Grimaldo (28 M).

Neste dérbi de valor de mercado, o médio defensivo que leva vantagem é o benfiquista Julien Weigl (17 M). O leão João Palhinha, que vai falhar o dérbi devido a castigo, está avaliado em 14 milhões de euros.

Também é na Luz que mora o médio ofensivo dos rivais lisboetas, Pizzi (18 M), que se superioriza a João Mário (13 M), que está emprestado pelos italianos do Inter de Milão aos leões.

As asas das águias são banhadas a ouro. Everton (25 M), Rafa (23 M) e Pedrinho (17 M) têm um valor de mercado superior a Pedro Gonçalves (15 M) e Jovane Cabral (10 M). No entanto, é Pote o melhor marcador da Liga, com 12 golos, o dobro de Everton e Rafa juntos.

Na frente de ataque, a vantagem encarnada é claríssima, com três opções de ponta: Darwin (25 M), Waldschmidt (17 M) e Seferovic (10 M). O ponta de lança leonino com o valor de mercado mais alto é o jovem Tiago Tomás, avaliado em seis milhões de euros.

Benfica gastou muito mais

Não é só no valor de mercado que o Benfica se superioriza, também em investimento para esta época. Nesta temporada de regresso de Jorge Jesus à Luz, as águias despenderam 105 milhões de euros em transferências, valor para o qual muito contribuíram as contratações de Darwin Núñez ao Almería (24 milhões de euros), Everton ao Grêmio (20 M), Pedrinho ao Corinthians (18 M) e Waldschmidt ao Friburgo e Otamendi ao Manchester City (ambos 15 M).

Qualquer destes cinco reforços encarnados custaram mais do que todas as aquisições do Sporting juntas: 12,85 milhões de euros. No mercado de verão, os leões gastaram nas contratações de Pedro Gonçalves ao Famalicão (6,5 M), Nuno Santos ao Rio Ave (3,7 M), Feddal ao Bétis (2,15 M) e Tabata ao Portimonense (500 mil euros), garantindo ainda Antunes e Adán a custo zero e Porro e João Mário por empréstimo.

O Benfica, que encaixou 76,42 milhões de euros em vendas de jogadores, valor para o qual muito contribuiu a transferência de Rúben Dias para o Manchester City por 68 M, leva um saldo negativo de 28,58 M no somatório de transações nas duas janelas de mercado de transferências em 2020-21.

Já o Sporting recebeu 46,25 milhões de euros, verba atingida em muito graças às vendas de Wendel para o Zenit (20,3 M), Acuña para o Sevilha (10,5 M), Matheus Pereira para o West Bromwich (8,25 M) e Vietto para o Al Hilal (7 M). Entre entradas e saídas, os leões tiveram um saldo positivo de 33,4 milhões de euros.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG