Sporting domina em toda a linha com vencedores surpreendentes

Catarina Ribeiro e Rui Teixeira ganharam as provas feminina e masculina do Campeonato Nacional de corta-mato longo. Leões repetem vitórias coletivas do ano passado

Só deu Sporting no Campeonato Nacional de Corta-Mato longo, que ontem de manhã se realizou em Monforte, no distrito de Portalegre. Os leões não só se sagraram tricampeões masculinos e bicampeões femininos coletivamente como viram atletas seus vencerem as provas de absolutos.

Se entre as senhoras já se esperava uma vencedora vestida de verde e branco, foi de alguma forma surpreendente que Sara Catarina Ribeiro tivesse sido a primeira a cortar a meta, com vantagens de seis segundos e de quase um minuto para as companheiras de equipa e mais cotadas Sara Moreira e Inês Monteiro, respetivamente - a vencedora da edição do ano passado, Jéssica Augusto, desistiu.

Natural de Lousada e com passagens por Vizela e Sp. Braga, Sara Catarina Ribeiro conquista pela primeira vez o título aos 27 anos, depois de ter sido campeã nacional de corta-mato curto em 2015 e de 3000 metros em pista coberta em 2014, além de vários títulos nos escalões jovens. Fê-lo de uma forma algo inesperada porque há pouco mais de um mês não integrou o quarteto leonino que pontuou para o título europeu, em Mira - foi 10.ª classificada, atrás das colegas Jéssica Augusto, Sara Moreira, Inês Monteiro e Svetlana Kudzelich. A atleta sportinguista, que regressou neste ano ao clube de Alvalade depois de ter representado o Benfica e de ter corrido como individual nas épocas anteriores, salientou a dureza da prova de Monforte, que teve um percurso "muito técnico e com muita lama", mas mostrou-se "satisfeita e muito feliz" por um resultado ao nível do que tem "trabalhado" nos últimos tempos.

O sexto título do Sporting foi alcançado com 20 pontos, menos 15 do que o Recreio Desportivo de Águeda e 33 do que o Sp. Braga, que completaram o pódio. O Benfica, como já se sabia, não apresentou equipa feminina.

Oito pontos separaram rivais

Já se previa uma corrida masculina bastante renhida entre Sporting e Benfica, e foi o que se verificou. Apenas oito pontos separam os rivais, com vantagem dos leões (16 pontos) sobre as águias (24), muito à frente do terceiro classificado, o São Salvador do Campo, de Santo Tirso (105). O emblema de Alvalade conseguiu assim o terceiro título consecutivo e o 47.º do historial.

Individualmente, o mais rápido a chegar à meta foi o sportinguista Rui Teixeira, com 22 segundos de vantagem sobre o vencedor da edição do ano passado e adversário com quem lutou durante toda a prova, o benfiquista Rui Pinto. Samuel Barata (Benfica), que em janeiro se sagrou campeão nacional de estrada, completou o pódio, a 32 segundos do primeiro classificado.

O atleta leonino, 35 anos, no clube desde o final de 2015 após várias temporadas no Maratona, sucede a Manuel Damião, que em 2014 tinha sido o último leão a vencer individualmente o título. Tal como na prova feminina, o vencedor também foi surpreendente, até porque se sagrou campeão a nível individual pela primeira vez.

"Ser campeão nacional é o sonho de todos. Desde que comecei a correr, apaixonei-me pelo corta--mato. Sempre gostei, treinei a época toda em percurso de corta-mato e hoje consegui realizar o meu sonho", disse Rui Teixeira, em declarações à agência Lusa, pouco mais de um mês depois de ter ajudado o Sporting a conquistar o título europeu de clubes, em Mira, ao terminar essa prova em 7.º lugar.

Mariana Machado volta a brilhar

No campeonato nacional de juniores femininos, sagrou-se campeã Mariana Machado (Sp. Braga) - filha de Albertina Machado e recém-coroada campeã nacional de corta-mato curto, em Albufeira - e, por equipas, o título foi entregue ao Sporting.

Nos juniores masculinos, Rúben Sousa (Sporting) conquistou o título individual e o Benfica arrecadou o de equipas.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG