"Ser Portugal" frente à Sérvia e passar aos quartos

Selecionador nacional apostado em fazer um grande jogo. Se vencerem, portugueses podem defrontar espanhóis.

O selecionador de futsal, Jorge Braz, mostrou-se "extremamente confiante" numa vitória frente à Sérvia (sexta-feira, às 18.00, RTP1) e na consequente passagem aos quartos de final do Mundial - algo que aconteceu em três das seis participações. "Vai ser um jogo muito interessante, de certeza absoluta, mas estou extremamente confiante de que vamos fazer um bom jogo e saber ser Portugal, que é fundamental e a principal questão para passar esta fase e estar nos "quartos", como queremos", disse ontem o técnico, na antevisão ao confronto com os sérvios, em Kaunas.

A equipa portuguesa tem de contar com a "maturidade competitiva de alguns jogadores" da Sérvia, uma seleção que sabe ser "muito objetiva" e que "tem um jogo muito físico", o que torna mais difícil "ganhar-lhes duelos no confronto físico". Mas também há fragilidades que os campeões europeus poderão explorar: "Fazer a Sérvia andar atrás de nós e a mandarmos um bocadinho no jogo cada vez que tivermos bola. O jogo andará muito por aqui, de esconder e ludibriar essa vantagem que eles têm em alguns momentos e nós aproveitarmos o que temos de muito bom."

Mas sem medos. "É uma seleção de topo europeu e mundial, mas nós também o somos. A nossa forma de ser e de jogar tem-nos dado muitas vantagens cada vez que jogamos com a Sérvia. Sabemos muito bem o que temos de fazer: aproveitar as desvantagens deles e muito bem as nossas vantagens a jogar", vincou o selecionador com mais jogos por Portugal.

A competitividade no Mundial tem resultado em algumas surpresa e há alguns outsiders que podem dificultar a vida aos maiores candidatos, na opinião de Jorge Braz: "Continuo a achar que pode haver aqui uma ou outra surpresa, mas nós queremos é olhar para o nosso percurso. Não queremos surpresas connosco. Sabemos muito bem qual é o objetivo e onde queremos chegar, para continuar o nosso percurso."

Já Pany Varela lembrou que a Sérvia "não é um adversário desconhecido", pois já se cruzou algumas vezes com a equipa nacional em jogos nivelados. Não acredita por isso que possam surpreender. Tal como Miguel Ângelo: "A equipa está motivada e focada. Acho que, na última partida, não fizemos o jogo que gostávamos de ter feito, mas serviu-nos de alerta para o jogo com a Sérvia, que vai ser muito complicado. Temos as nossas qualidades, sabemos que queremos ganhar e estamos a trabalhar para isso.".

Ultrapassada a fase de grupos, na liderança do Grupo C, com sete pontos, resultantes de duas vitórias com Tailândia (4-1) e Ilhas Salomão (7-0) e um empate com Marrocos (3-3), Portugal chegou sem surpresa aos oitavos da prova.

Se vencerem os sérvios passam aos quartos de final, onde encontrarão a seleção vencedora do duelo entre a Espanha e a República Checa.

Certo é que a campeã mundial Argentina e os favoritos Brasil e Rússia não impedirão Portugal de chegar à final, uma vez que não cruzam. E assim o caminho para o título mundial, o único que falta à seleção nacional de futsal, fica menos sinuoso para Ricardinho e companhia.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG