Vieirinha. O extremo que virou lateral de sucesso

Trabalhou com Fernando Santos na Grécia nos gregos do PAOK. Só aos 27 anos é que se tornou internacional pela seleção principal

Ainda Cristiano Ronaldo não era Cristiano Ronaldo e já Vieirinha era uma espécie de next big thing do futebol português, uma das principais figuras da última geração que conseguiu ganhar um título internacional de seleções jovens para Portugal. Juntamente com o 'Maradoninha' Márcio Sousa, um talento "perdido" entretanto no anonimato das divisões secundárias, Adelino André Vieira Freitas - cuja baixa estatura deu origem ao cognome que adotou no futebol, Vieirinha - era um dos mais talentosos futebolistas dessa seleção de sub-17 que ganhou o Europeu em Viseu, em 2003, na final contra a Espanha de David Silva.

Mas ao contrário do que aconteceu com alguns colegas dessa equipa, como João Moutinho e Miguel Veloso, que tiveram uma afirmação rápida no futebol senior, Vieirinha teve dificuldades em transpor o talento irrequieto para o patamar dos adultos. Viu-se grego, sim. E só quando o atual selecionador Fernando Santos lhe estendeu a mão para o levar até à Grécia, em 2008, onde o técnico treinava então o PAOK de Salónica, é que o futebol de Vieirinha começou a confirmar o potencial que todos lhe detetavam anos antes. Para trás tinham ficado as tentativas frustradas de singrar na equipa principal do FC Porto, que o tinha ido contratar, ainda júnior, ao seu V. Guimarães, bem como os empréstimos inconsequentes ao Marco e ao Leixões.

Estar aqui é o realizar de um sonho, até porque qualquer jogador que teve um trajeto nas camadas jovens sonha chegar à seleção principal

Na Grécia, com Fernando Santos, Vieirinha voltou a sorrir. Conquistou os sempre exigentes adeptos gregos, depois de nos meses iniciais até ter medo de sair de casa, como chegou a confessar, e conquistou também a sua vida familiar, ao conhecer Vaso Vergidou, a grega com quem casou no verão passado e de quem tem uma filha há quase 5 anos, Cristina. A adaptação feliz à Grécia chegou a fazê-lo ponderar a hipótese de representar a seleção grega, entretanto conduzida por Fernando Santos, mas uma chamada de última hora do selecionador português Paulo Bento para o play-off da seleção contra a Bósnia, em novembro de 2011, resolveu definitivamente o dilema.

Ainda assim, só em março de 2013, aos 27 anos, e já como jogador do Wolfsburgo, para onde se tinha transferido em janeiro de 2012 por quatro milhões de euros, é que Vieirinha somou a primeira internacionalização AA às 87 que colecionara por todas as camadas jovens portuguesas até aos sub-23. Foi em Israel, num empate a 3-3 que deixava Portugal em apuros na corrida para o Mundial de 2014, no Brasil. Mas Portugal voltou a apurar-se para a fase final, num play-off contra a Bósnia, e Vieirinha teve a honra de vestir a camisola 10 da seleção no seu primeiro Mundial senior.

Se não saísse de Portugal nunca chegaria onde cheguei.

Agora, aos 30 anos, reencontrado com Fernando Santos, Vieirinha já não é o extremo promissor que o técnico ajudou a crescer no PAOK, mas sim um jogador experiente que entretanto os alemães converteram em lateral direito, a posição em que definitivamente tem mais espaço para brilhar também na seleção portuguesa.

BI
Data de nascimento: 24/1/1986 (30 anos)
Naturalidade: Guimarães
Altura: 1,72 m
Peso: 67 kg
Clube atual: Wolfsburgo (Alemanha)
Clubes de formação: V. Guimarães, FC Porto
Trajeto senior: FC Porto, Marco, Leixões, PAOK, Wolfsburgo

Títulos: Europeu sub-17 (2003), Liga portuguesa (2006/07), Supertaça Cândido de Oliveira (2006), Taça da Alemanha (2014/15), Supertaça da Alemanha (2015)

CARREIRA NA SELEÇÃO
Estreia: 22/3/2013, Israel-Portugal (3-3)
Internacionalizações: 19
Golos: 1
FASE DE QUALIFICAÇÃO
Jogos: 3
Minutos: 189
Golos: 0

NÚMEROS

1 - Título de campeão europeu sub-17

1 - golo na seleção A, num particular frente à R. Irlanda, em 2014

2- Equipas que representou na I Liga portuguesa: FC Porto e Leixões

4 - Troféus ganhos a nível de clubes

5 - Clubes representados enquanto senior (FC Porto, Marco, Leixões, PAOK e Wolfsburg)

8- Número de camisola no Wolfsburgo

10 - Número da camisola no Mundial de 2014, no Brasil

11- Jogos pela equipa principal do FC Porto

20 - Idade da estreia oficial na primeira equipa do FC Porto, na Supertaça de 2006 (1 golo)

20 - Número de camisola no PAOK

21- Minutos jogados no Mundial do Brasil, na vitória (2-1) de Portugal frente ao Gana

30- Total de jogos na I Liga portuguesa

55 - Total de golos na carreira

87 - internacionalizações pelas camadas jovens, até aos sub-23

372 - Total de jogos na carreira

2013 - Ano da primeira internacionalização A

2018 - Final do contrato atual com o Wolfsburg

500 000 - Valor em euros da transferência do FC Porto para o PAOK, em 2009 (mais 35% de futura transferência)

4 000 000 - Valor em euros da transferência do PAOK para o Wolfsburg

4 000 000 - Salário anual em euros estimado no Wolfsburg

Mais Notícias

Outras Notícias GMG