Selecionador Edgar Borges sonha ser campeão mundial

Portugal vai defrontar a Nigéria, a Coreia do Sul e Cuba no Grupo B da fase final do Campeonato do Mundo que se vai disputar na Turquia

O selecionador português de futebol de sub-20 não escondeu esta terça-feira o "sonho" de conquistar o título mundial, mas advertiu que a qualificação para a segunda fase é o principal objetivo para o campeonato que vai ser disputado na Turquia.

"Todos nós sonhamos com o melhor. Quem não tiver ambição não pode estar num projeto deste género. Apesar de haver esse sonho e desejo estamos conscientes das dificuldades. [O principal objetivo é] passar a fase de grupos e depois tudo pode acontecer. Iremos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance e se calhar algo mais no sentido de dar mais uma alegria a todos os portugueses", disse Edgar Borges.

Em conferência de imprensa realizada na sede da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), em Lisboa, na qual divulgou os 21 jogadores convocados para a fase final da competição, que se disputa entre 21 de junho e 13 de julho, o técnico reconheceu o peso de orientar uma seleção que foi vice-campeã mundial em 2011, na Colômbia.

"Estamos muito orgulhosos de ter sobre os nossos ombros a responsabilidade de fazer melhor e vamos fazer tudo para que isso aconteça. Não podemos prometer títulos, mas iremos fazer tudo para o conseguir", assinalou Edgar Borges, advertindo que "não há contextos iguais".

O vice-presidente da FPF com o pelouro das seleções nacionais, Humberto Coelho, também lembrou que o facto de Portugal ser o atual vice-campeão implica uma "responsabilidade acrescida" e que o objetivo para o torneio deste ano "não é dar passos atrás", mas "tentar prestigiar o segundo lugar do último Campeonato do Mundo e, se possível, ir mais além".

Humberto Coelho reconheceu que os incidentes na Turquia representam "uma preocupação para todos", mas lembrou que "a FIFA, nesse aspeto, não facilita".

"Se não houver a segurança que é exigida não realizarão o campeonato ou mudam-no de lugar. Estaremos sempre atentos ao desenrolar dos acontecimentos, ainda que até agora não haja razão para preocupação", frisou o dirigente.

Edgar Borges justificou também a saída de cinco jogadores que disputaram o recente torneio de Toulon, em França, no qual tiveram "uma prestação intocável", recordando que tanto a ronda de elite de sub-19 como o jogo particular de sub-21 com a Croácia "faziam parte do processo de elaboração da lista definitiva".

O técnico manteve entre os eleitos a maioria dos jogadores que participaram no Torneio de Toulon, no qual Portugal terminou no quarto lugar, mas convocou cinco futebolistas da geração mais jovem, que conseguiram o apuramento para a fase final do Europeu de sub-19.

"Há jogadores sub-19 que fizeram parte do apuramento [para o Mundial de sub-20] na Estónia na época passada. Era muito importante que nos apurássemos para mais uma fase final do Campeonato da Europa de sub-19 e não fazia sentido levar para um torneio particular jogadores que eram importantes para conseguir essa qualificação", explicou.

O avançado Bruma é uma das novidades da convocatória da seleção portuguesa de futebol de sub-20 para a fase final do Campeonato do Mundo da categoria, que se vai disputar na Turquia, entre 21 de junho e 13 de julho.

Edgar Borges chamou ao convívio dos mais velhos o guarda-redes Bruno Varela, os defesas Edgar Ié e João Cancelo e os avançados Bruma e Gonçalo Paciência, abdicando de André Pereira, Frederico Venâncio, Ivan Cavaleiro, Piqueti e Betinho, que tinham viajado para Toulon.

O selecionador de sub-20 recusou que a ausência de alguns históricos, como o Brasil, a Argentina e a Itália, possa facilitar a tarefa da equipa lusa, admitindo isso deixa-o "ainda mais preocupado": "Imagine-se a qualidade das equipas que as afastaram e estarão lá".

Portugal estreia-se no Mundial de sub-20 a 21 de junho, frente à Nigéria, antes de defrontar a Coreia do Sul, três dias mais tarde, fechando a participação no grupo B da fase final a 27 de junho, perante a seleção de Cuba, estando todos os jogos marcados para a cidade turca de Kayseri.

"Vão ser finais consecutivas e estamos concentrados já na primeira, com a Nigéria. É uma excelente equipa, uma das bandeiras do futebol africano. A Coreia do Sul é a cultura asiática do futebol e relativamente a Cuba só temos as imagens recolhidas por vídeo, mas será o último jogo e teremos tempo para os observar", indicou.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG