Seleção sofre golos há cinco jogos. Há sete anos que não acontecia

Santos fala em situação "preocupante" - foram nove golos em apenas cinco partidas - e quer dar a volta já amanhã, no jogo frente ao Azerbaijão, que se realiza em Baku.

A seleção nacional vai num ciclo de cinco jogos consecutivos sempre a sofrer golos e Fernando Santos não tem disfarçado a sua preocupação com esta tendência, que nunca aconteceu durante o seu reinado como selecionador. "Uma equipa que sofre nove golos em cinco jogos é preocupante. Há coisas que sempre fizemos muito bem e uma delas são os lances de bola parada defensivos, era muito raro sofrermos golos assim. Na verdade, agora temos sofrido, já alertei os jogadores para isso", queixou-se o treinador no final do particular com o Qatar, sábado, que Portugal venceu por 3-1.

De facto, é preciso recuar sete anos para encontrar um registo idêntico. Entre junho e outubro de 2014, a equipa das quinas somou não cinco, mas seis partidas onde foi incapaz de terminar um jogo sem golos sofridos.

Curiosamente, esta saga começou com uma goleada por 5-1 à Rep. Irlanda num particular. Seguiram-se três jogos no Mundial do Brasil - derrota por 4-0 com a Alemanha, empate com os Estados Unidos a dois golos e vitória por 2-1 sobre o Gana. Depois aconteceu a humilhante derrota caseira com a Albânia (0-1) na qualificação para o Euro 2016, que custou a demissão de Paulo Bento, e o ciclo de seis jogos foi fechado com um desaire num particular com a França (1-2), curiosamente no primeiro jogo de Santos como selecionador.

Desde então, nunca mais a equipa nacional teve um registo idêntico. Aliás, a solidez defensiva sempre foi uma imagem de marca de Fernando Santos como selecionador nacional, prova disso é o facto de, por exemplo, a equipa das quinas não ter sofrido golos nos três jogos anteriores (Hungria, Israel e Espanha) a este ciclo atual de cinco partidas em que terminou os jogos com golos sofridos [derrota por 4-2 com a Alemanha, empate a dois golos com a França, desaire diante da Bélgica por 1-0 (todos no Euro 2020), e ainda os recentes triunfos por 2-1 frente à Rep. Irlanda e Qatar (3-1)].

Esta é uma lacuna que Fernando Santos pretende ver já invertida a partir de amanhã (17h00, RTP1), dia em que Portugal volta a jogar, desta vez já de forma oficial, frente ao Azerbaijão, em mais um jogo do Grupo A de qualificação para o Mundial 2022. No desafio da ronda inaugural, disputado em 23 de março na cidade italiana de Turim, a equipa de Fernando Santos, apesar de ser claramente favorita, apenas chegou ao triunfo graças a um autogolo de Maksim Medvedev, aos 37 minutos.

Um empate e seis vitórias

A seleção portuguesa tem um registo quase perfeito face ao Azerbaijão, sendo a exceção um empate a um golo na primeira deslocação a Baku, na qualificação para o Europeu de 2000. De resto, os restantes seis jogos saldaram-se em triunfos, um deles com uma goleada histórica por 7-0 no primeiro confronto entre os dois países, em março de 1999, com golos de Sá Pinto, João Vieira Pinto (2), Paulo Madeira, Sérgio Conceição e Pedro Pauleta (2).

Portugal lidera o grupo da qualificação para o Mundial do Qatar com 10 pontos, os mesmos da Sérvia. Seguem-se Luxemburgo (6), Rep. Irlanda (1) e Azerbaijão (1). O primeiro classificado de cada agrupamento apura-se automaticamente para o Campeonato do Mundo, os segundos terão de disputar um play-off juntamente com os dois melhores vencedores dos grupos da UEFA Nations League de 2020/2021 que não se tenham apurado diretamente para a fase final como vencedores do grupo da qualificação europeia

Depois deste jogo em Baku, Portugal volta a entrar em ação a 12 de outubro, com uma receção ao Luxemburgo. Segue-se uma deslocação à Rep. Irlanda e o derradeiro jogo está agendado para 14 de novembro, com a equipa das quinas a receber a Sérvia.

nuno.fernandes@dn.pt

Mais Notícias

Outras Notícias GMG