Rui Jorge: "Voltámos a levar um soco dos grandes, mas teremos que nos levantar outra vez"

Treinador da seleção portuguesa, que perdeu na final do europeu frente à Alemanha, fala no "trajeto notável", mas admite que para já "sabe a pouco".

""Hoje tudo sabe a pouco. Amanhã vamos começar a pensar em todo o trajeto que fizemos e vamos ver que foi uma coisa notável. Mas hoje sabe a pouco. É cair e levantar", disse o treinador da seleção portuguesa de sub-21, Rui Jorge, após a derrota por 1-0 frente à Alemanha na final do europeu que decorreu em Liubliana.

"Foi um percurso muito bom. Não consigo dizer que foi brilhante porque não conseguimos vencer o jogo de hoje", disse o treinador na primeira reação diante das câmaras da RTP.

Foi a terceira final que a seleção portuguesa de sub-21 perdeu, a última das quais em 2015, já com Rui Jorge como treinador. "Só com o passar dos anos vão tomar consciência da dificuldade que é atingir a final dos sub-21. Nós já cá estivemos duas vezes, caímos uma vez e levantámo-nos e hoje voltámos a levar um soco dos grandes, mas teremos que nos levantar outra vez para bem de todos os jogadores", afirmou. "Só estando aqui podemos ganhar o troféu", acrescentou.

Em relação ao jogo desta noite, o treinador considerou que "foi um jogo equilibrado", mas que as duas equipas se ressentiram em termos físicos. "Foi um encontro emotivo, com várias ocasiões, em que ambas as equipas mostraram que têm excelentes jogadores e que queriam levar este troféu para casa."

O capitão Diogo Queirós diz que "falhou a eficácia" e que os jogadores portugueses fizeram tudo para ganhar. "Entregámo-nos de corpo e alma a este jogo, mas não caiu para o nosso lado", afirmou, dizendo-se orgulhoso da equipa. "Fizemos um excelente trajeto até aqui, mas não conseguimos finalizar da melhor forma", referiu, agradecendo o apoio dos portugueses. "Queríamos dedicar-lhes esta vitória, não conseguimos."

Fábio Vieira, considerado o melhor jogador do europeu, diz que "sabe a pouco" e que o objetivo da equipa era ganhar. "Fizemos um belíssimo trajeto até aqui, chegámos à final, sabíamos que seria mais um jogo difícil", afirmou à RTP, indicando que o jogo se definiu nos "pormenores".

"Falhámos algumas oportunidades. Quem é mais eficaz ganha os jogos, eles marcaram e nós não", referiu, "Acho que não é por ser azar ou sorte, eles foram mais eficazes, falhámos na finalização", acrescentou, concluindo: "Para o ano cá estaremos outra vez e vamos voltar mais fortes".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG