Amorim arrisca três jogos e leões criticam justiça do futebol português

Leões vão recorrer da suspensão de 15 dias que põe em xeque presença nos jogos com Farense, Belenenses SAD e Sp. Braga. E lembram processo a Conceição que está por decidir.

Rúben Amorim foi nesta terça-feira castigado com 15 dias de suspensão, na sequência da expulsão domingo à noite após o jogo com Famalicão (1-1), e deverá ficar impossibilitado de orientar a equipa nos jogos diante do Farense, no Algarve, já nesta sexta-feira, na receção ao Belenenses SAD, a 21 de abril, e muito provavelmente na deslocação dos leões a Braga, que deverá ser jogado no fim de semana de 25 abril, apesar de a Liga ainda não ter feito os acertos à jornada 29. Os leões, sabe o DN, vão recorrer do castigo. Agora tudo dependerá dos prazos e se será dada ou não razão ao técnico leonino.

O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol não esteve com contemplações depois de ter analisado o relatório do árbitro Rui Costa, que deu ordem de expulsão a Amorim no final do empate entre o Sporting e o Famalicão, em Alvalade, quando o treinador se dirigiu à equipa de arbitragem já depois do apito final. "Foi considerado expulso por palavras injuriosas dirigidas à equipa de arbitragem, proferidas no final do jogo, tendo dito: "Vai para o c.., vai-te f..., conseguiste o que querias"", escreveu Rui Costa no relatório do jogo. Além dos 15 dias de suspensão, o técnico dos leões foi ainda multado em 6735 euros.

Rúben Amorim foi notificado na segunda-feira sobre o teor do relatório do árbitro e fez a sua defesa, alegando que não usou nenhuma daquelas expressões descritas pelo árbitro. Mas o Conselho de Disciplina da FPF, depois de analisada a defesa do treinador, considerou que "não se vislumbra indiciado qualquer abalo à credibilidade probatória reforçada de que gozam aqueles relatórios oficiais, pelo que se confirma a factualidade neles descrita, com as consequências disciplinares previstas no Regulamento Disciplinar".

Refira-se que este castigo é pesado porque além da acusação, o treinador do Sporting é reincidente, já que esta foi a quarta expulsão de Amorim na presente época.

Este castigo, sabe o DN, foi recebido em Alvalade com grande perplexidade e preocupação, já que o campeonato está a entrar numa fase de decisões, e a luta pelo título está mais acesa do que nunca, depois dos dois empates concedidos pelo Sporting nas duas últimas jornadas (Moreirense fora e Famalicão em casa), que fizeram a diferença para o FC Porto encurtar de 10 para seis pontos.

O Sporting considera que o Conselho de Disciplina não teve a mesma mão pesada em outros casos de expulsões de treinadores. A revolta leonina surgiu através de comentários feitos no Twitter pelo responsável de comunicação do clube, Miguel Braga, que fez um termo de comparação com o caso protagonizado por Sérgio Conceição e Paulo Sérgio, treinador do Portimonense, que quase chegaram a vias de facto, foram expulsos, e ainda não foi conhecida qualquer decisão.

"Rúben Amorim foi suspenso 15 dias por alegadas palavras ao árbitro assistente - o treinador afirma que não disse o que está escrito no relatório. Sérgio Conceição trocou uns mimos em Portimão e foi aberto um processo disciplinar. Quase que aposto que o mesmo deverá estar concluído no final de maio e o castigo de 30 dias deverá ser cumprido nas férias. É esta a justiça do futebol português", escreveu Miguel Braga nas redes sociais.

Recorde-se que esta foi a quarta expulsão de Rúben Amorim na presente época, depois de ter visto um vermelho em outubro no jogo contra o FC Porto por palavras dirigidas ao árbitro, após o qual levou seis dias de suspensão. Em dezembro foi novamente expulso, curiosamente também com o Famalicão e por palavras aos juiz do jogo, e mais recentemente tinha tido um desentendimento com Carlos Carvalhal, no jogo da Taça da Liga diante do Sp. Braga, que culminou com a expulsão de ambos.

Dúvida desfeita: Sexto amarelo de Palhinha...

O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol confirmou esta terça-feira que o cartão amarelo visto por Palhinha no decorrer do encontro com o Famalicão, do passado domingo, é o sexto do médio no campeonato.

O agora internacional português viu o quinto cartão no Bessa, frente ao Boavista, antes do dérbi com o Benfica, sendo punido com uma partida de castigo pelo CD, decisão essa que foi suspensa após uma providência cautelar apresentada no Tribunal Central Administrativo do Sul.

Em março passado, o Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) manteve o cartão, mas a sanção decorrente, de um jogo de suspensão, ficou sem efeito. Ou seja, Palhinha é provavelmente o único jogador que não cumpriu qualquer jogo de castigo depois de ver cinco amarelos na I Liga.

O mapa de castigos divulgado dá ainda conta que o Conselho de Disciplina instarou um processo disciplinar a Hugo Viana, diretor desportivo dos leões, também expulso no jogo com o Famalicão e visado no relatório do árbitro Rui Costa por o ter interpelado no túnel de acesso aos balneários. "É uma vergonha, uma vergonha, vocês são uma vergonha, vocês são mesmo uma vergonha, tenham vergonha na cara", terá dito Viana.

Miguel Cardoso (Rio Ave) suspenso por oito dias por gesto obsceno

Miguel Cardoso, treinador do Rio Ave, foi suspenso por oito dias, pelo gesto obsceno no jogo com o Boavista. O técnico fez dois "piretes" na direção do banco axadrezado quando sofreu o empate (3-3). Por isso foi castigado e multado em 2805 euros pelo Conselho de Disciplina.

Já Fary, dirigente do Boavista, foi suspenso por 21 dias e multado em 2104 euros por provocações e participação na confusão generalizada no final do encontro da 26.ª jornada da I Liga. E Jorge Couto (Boavista) foi suspenso 15 dias e multado em 3507 euros.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG