Rúben Amorim avisa: "Numa semana pode perder-se a liderança e o balão de oxigénio"

O treinador do Sporting alerta os seus jogadores para a necessidade de vencer o Boavista, no Bessa, depois da conquista da Taça da Liga.

Rúben Amorim, treinador do Sporting, afirmou esta segunda-feira que a conquista da Taça da Liga "é passado" e realçou a importância de um triunfo sobre o Boavista, esta terça-feira (21.15 horas) no Bessa, em vésperas de dérbi lisboeta.

"Foi um título muito bom, que teve um sabor muito importante naquele dia, mas hoje já não sabe a nada. É passado. Numa semana jogamos com o Boavista e, depois, com o Benfica. Numa semana tudo pode acontecer. Pode perder-se a liderança, balão de oxigénio, colocar-se em causa todo um projeto. O nosso foco tem de estar neste jogo", afirmou o técnico, em conferência de imprensa.

Na antevisão do jogo com o Boavista, na terça-feira, para a 15.ª jornada da I Liga, Rúben Amorim enalteceu as virtudes do adversário, que ocupa o último lugar do campeonato e que apenas somou uma vitória na prova, diante do Benfica.

"Temos um jogo muito difícil pela frente. O Boavista tem um grande treinador, muito experiente, campeão várias vezes, e tem uma equipa recheada de bons jogadores. Já fizeram grandes jogos contra equipas grandes. São talentosos e não têm nada a perder", referiu.

Embora o Sporting continue isolado na liderança, os "resultados não escondem o que acontece de mal nos jogos", segundo Amorim, que, ainda assim, recusa que os 'leões' estejam apenas a beneficiar da 'estrelinha' que ele próprio já mencionou em mais do que uma ocasião.

"Temos falhas em certos momentos do jogo, mas temos conseguido vencer. Não me lembro de um jogo em que o adversário fosse tão superior como nós. Quando jogámos mal contra o Belenenses SAD, conseguimos ganhar e, aí, se calhar, tivemos a estrelinha. Mas o resto é trabalho da equipa. São muitos jogos [a ganhar] para se falar só em estrelinha. A mim, não faz confusão nenhuma que digam isso. Quanto mais andarem distraídos com isso, melhor para nós", salientou.

Por outro lado, o técnico mostrou-se confiante de que estará no banco diante do Boavista e que não será castigado pela expulsão na final da Taça da Liga, depois da discussão com o treinador do Sporting de Braga, Carlos Carvalhal, que também acabou expulso nessa partida.

"Não foi nada de mais, tudo o que se passa no campo, fica no campo. Como o mister Carvalhal disse hoje, não espero nenhum castigo. Espero estar no banco amanhã [terça-feira]. Foi um erro a nossa expulsão, por isso não espero castigo, muito menos um pesado. Não há público nos estádios e ouvimos o que cada um diz. Podemos falar um para o outro. Mas vou melhorando passo a passo. Os meus jogadores precisam de mim e não posso ser expulso tantas vezes", confessou.

Após a visita ao Bessa, o Sporting vai receber o rival Benfica, em 01 de fevereiro, mas Amorim garantiu que não vai pedir cautelas aos jogadores que se encontram em risco de suspensão (Luís Neto, Coates, Palhinha e Nuno Santos) e que podem falhar o dérbi, caso vejam um cartão amarelo diante do Boavista.

"Não vou dar qualquer informação aos jogadores, porque este é o jogo mais importante. Contra o Belenense SAD fiz isso com o Palhinha e foi um erro. A culpa foi minha. Temos o máximo de respeito pelos adversários e temos mesmo de ganhar este jogo", concluiu.

O Sporting, líder da I Liga, com 36 pontos, joga com o Boavista, 18.º e último, com 11, na terça-feira no Estádio do Bessa, no Porto, num encontro que será dirigido pelo árbitro Fábio Veríssimo, da Associação de Futebol de Leiria.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG