Ronaldo à espera da quarta Bola de Ouro da carreira

Hoje, às 19.00, CR7 deve ser coroado com o prémio da France Football, o troféu que foi a sua primeira aclamação mundial

"Pesada mas espetacular" a estatueta dourada deixou um sorriso rasgado naquele rapaz de 23 anos cheios de projetos. "É um primeiro sonho que vira realidade. Sou ambicioso. Tenho personalidade forte. Esta Bola de Ouro é o primeiro passo para algo ainda maior...", disse Cristiano Ronaldo, ao receber pela primeira vez, em dezembro de 2008, o prémio da revista France Football para o melhor futebolista do mundo. Todos esses objetivos se foram concretizando, seguindo o seu prenúncio. E, hoje, tudo o indica, CR7 deverá receber mais uma Bola de Ouro, como primeira consagração do ano brilhante de 2016.

O anúncio do vencedor do prémio Ballon d"Or , que neste ano volta a ser atribuído apenas pela revista francesa, sem qualquer parceria com a FIFA, será feito pelas 19.00 de Portugal continental (mais uma hora em França). E, num momento conturbado, em que tem sido acusado de evasão fiscal, Cristiano Ronaldo pode ter aí uma ocasião para festejar. O futebolista português é quase unanimemente apontado como o grande favorito entre os 30 nomeados - em que, além dos compatriotas Pepe e Rui Patrício, se encontram o argentino Lionel Messi e o francês Antoine Griezmann (os outros finalistas do prémio FIFA, ao qual CR7 também é um forte candidato).

O favoritismo do avançado do Real Madrid é tal que até o Mundo Deportivo, jornal catalão tido como próximo do FC Barcelona, noticiou na semana passada que Ronaldo é o vencedor do troféu. Numa votação promovida pela France Football entre 123 jogadores da liga francesa, o capitão da seleção nacional também reuniu a maioria dos votos (42%), com clara vantagem sobre Messi (27,2), Griezmann (11,7) e qualquer dos 27 nomeados.

No entanto, neste caso (e ao contrário das edições da FIFA Bola de Ouro, entre 2010 e 2015, em que os votos de treinadores e capitães de todas as seleções nacionais eram decisivos), só contam os votos de um painel de jornalistas de toda a Europa. "Esperamos, desta forma, que a Bola de Ouro recupere alguma justiça, sem a participação de elementos que pretendam defender companheiros [de equipa]", explicou a France Football, ao anunciar o novo modelo do prémio.

Se apenas valessem os votos dos membros da comunicação social, o holandês Wesley Sneijder teria roubado o título a Messi, em 2010, e o francês Franck Ribéry teria ultrapassado Ronaldo, em 2013. Contudo, desta vez, a preferência por CR7 parece geral: afinal, em 2016 foi a grande figura da conquista do Campeonato da Europa, por Portugal, e de mais uma Liga dos Campeões (além da Supertaça Europeia) pelo Real Madrid - e marcou 51 golos em 55 jogos com ambas as camisolas.

Caso se confirmem as previsões, Cristiano recebe a quarta Bola de Ouro da carreira (2008 e, depois, 2013 e 2014, como prémio conjunto da FIFA e da France Football). Esse poderá ser o mais longo reinado da história do galardão, já que nenhum dos seus vencedores múltiplos soma uma tão grande distância de tempo entre a primeira e a última conquista (o máximo são os seis anos entre a estreia de Messi, em 2009, e o seu derradeiro triunfo, em 2015).

No ano da primeira consagração, 2008, CR7 ainda brilhava no Manchester United: tinha conduzido o clube inglês à conquista da Liga dos Campeões e da Premier League nesse ano. Recebeu 446 pontos, superando Messi (281), do Barcelona, e Fernando Torres (179), então no Liverpool. E mostrou-se orgulhoso por chegar ao patamar dos outros portugueses que tinham conquistado o troféu da France Football, Eusébio (1965) e Luís Figo (2000). "Tenho apenas 23 anos: é magnífico, é incrível. Como sonhei com este dia. Não tenho palavras para descrever a emoção. Todos aqueles que me conhecem sabem que é um sonho tornado realidade", disse à revista.

Então, a consagração foi apenas o prenúncio da que se seguiria: a eleição como melhor futebolista de 2008, pela FIFA, oficializada cerca de um mês depois. Em 12 das 19 edições separadas dos dois prémios (entre 1991 e 2009), o vencedor repetiu-se. A confirmação (ou não) está marcada para 9 de janeiro, em Zurique (Suíça).

Mais Notícias

Outras Notícias GMG