Usain Bolt vence os 200 metros mas falha ataque ao recorde do Mundo

Jamaicano fez 19,78 segundos e chegou à 8.ª medalha de ouro olímpica. Diz que quer um lugar entre Muhammad Ali e Pelé. E que está a ficar velho. No Rio, ainda vai tentar vencer os 4x100 metros

Usain Bolt somou na madrugada desta sexta-feira a sua oitava medalha de ouro olímpica (segunda no Rio de Janeiro, depois dos 100m) ao vencer a final dos 200 metros, com o tempo de 19,78 segundos. Um dos objetivos que o atleta jamaicano tinha estabelecido era bater o recorde do mundo da distância, que já lhe pertence (19,19), mas ficou longe dessa meta e também acima do (seu) recorde olímpico de 19,30.

Ainda assim, depois de um primeiro gesto de desagrado quando cortou a meta, o atleta festejou bastante com o público, principalmente quando se ouviu nos altifalantes do Estádio Olímpico a música 'One Love', da autoria de outro ícone da Jamaica, Bob Marley - o rei do raggae.

"Já não preciso de provar nada. O que posso fazer mais para mostrar que sou o melhor do Mundo? Estou a tentar ficar a par dos melhores de sempre, estar entre Muhammad Ali e Pelé. Espero conseguir estar nesse patamar depois destes Jogos", afirmou Bolt após a corrida, explicando depois porque ficou longe do recorde mundial: "Corri muito na curva, mas na reta o meu corpo não respondeu. Estou a ficar velho".

No segundo lugar ficou o canadiano Andre de Grasse (20,02), que juntou a medalha de prata à de bronze que já havia ganho nos 100 metros. O terceiro posto foi conquistado por Christophe Lemaitre (França), com o tempo de 20,12 segundos, que soma assim, aos 26 anos, a sua primeira medalha olímpica. O francês terminou com o mesmo tempo de Adam Gemili (Reino Unido). Churandy Martina (Holanda) foi 5.º (20,13s), seguido de Lashawn Merritt (EUA; 20,19), Alonso Edward (Panamá; 20,23s) e Ramil Guliyev (Turquia; 20,43s).

Agora, o jamaicano de 29 anos vai ainda disputar na madrugada deste sábado (02.35) a estafeta 4x100 metros (caso o país confirme o apuramento), onde vai procurar o inédito 'triplo-triplo': 9 medalhas de ouro consecutivas, nos 100, 200 e 4x100 metros, num percurso que iniciou nos Jogos de Pequim 2008.

Além disso, se subir ao primeiro lugar do pódio iguala o recorde de nove ouros no atletismo que é, neste momento, partilhado pelo finlandês Paavo Nurmi (falecido em 1973) e pelo norte-americano Carl Lewis, se bem que em disciplinas diferentes.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG