Equipa olímpica dos refugiados já tem bandeira e hino

A bandeira é laranja com uma risca preta, inspirada nos coletes salva-vidas usados pelos refugiados que atravessam o Mediterrâneo

A equipa de refugiados que este ano se estreou nos Jogos Olímpicos Rio 2016 já tem uma proposta de bandeira e hino oficial, após ter sido apresentada, na cerimónia de abertura dos Jogos, a transportar a bandeira Olímpica. O hino e a bandeira, criados por um grupo de artistas refugiados que se autointitulou Refugee Nation (Nação de Refugiados), ainda não foram oficialmente aceites pelo Comité Olímpico Internacional, mas já foram levados até aos refugiados que estão a competir.

A bandeira, criada pela artista síria Yara Said, que atualmente vive em Amesterdão, é inspirada nas cores e design dos coletes salva-vidas usados pelos refugiados que atravessam o Mediterrâneo vindos do norte de África ou do Médio Oriente. Laranja com uma risca preta que a atravessa, a bandeira tem um significado pessoal para Said. "Como tive de vestir um [colete salva-vidas], tenho uma relação pessoal com estas cores", explicou, no vídeo em que a bandeira é apresentada. "É um símbolo de solidariedade para todas as almas corajosas que tiveram de atravessar o mar para procurar segurança num novo país".

O hino, por sua vez, ficou a cargo do compositor sírio Moutaz Arian, que fugiu para Istambul quando não teve outra opção que não ser forçado a alistar-se no exército de Bashar al-Assad. Arian compôs um hino estritamente instrumental, para se aplicar "não apenas a curdos ou a árabes", disse. "Esta linguagem não precisa de ser traduzida.

À Quartz, o Comité Olímpico Internacional explicou que a equipa dos refugiados vai continuar a competir sob a bandeira olímpica, "como símbolo de solidariedade do movimento Olímpico com os refugiados".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG